Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sexta-feira 19 Abril |
Aleteia logo
Histórias Inspiradoras
separateurCreated with Sketch.

O homem que salvou 2,4 milhões de bebês com o próprio sangue

JAMES HARRISON

Nine News Sydney | Twitter | Fair Use

Grace Emily Stark - publicado em 23/05/18

James Harrison acaba de fazer a sua 1.173ª e última doação

A internet se agitou nos dias recentes, especialmente em países de língua inglesa, com as notícias sobre o “Homem do Braço de Ouro”: suas doações de sangue, conforme as estimativas do serviço de banco de sangue da Cruz Vermelha australiana, salvaram o incrível número de 2,4 milhões de bebês.

James Harrison, da Austrália, fez recentemente a sua 1.173ª e última doação de sangue – um feito notável para qualquer um, mas especialmente peculiar no caso dele porque o seu sangue contém alta concentração de anticorpos especiais que são usados ​​para produzir injeções “Anti-D”. Anti-D é um medicamento aplicado em mulheres grávidas cujo tipo sanguíneo é Rh negativo, a fim de proteger os seus bebês Rh positivo evitando que eles desenvolvam a doença hemolítica Rhesus D (HDN), que pode ser fatal.

Segundo o jornal Sydney Morning Herald:

“Cada ampola de Anti-D já fabricada na Austrália tem James Harrison nela”, disse Robyn Barlow, coordenadora do programa Rh que recrutou James, o primeiro doador do programa. “É algo descomunal. Ele salvou milhões de bebês. Eu choro só de pensar nisso”.

Talvez o mais impressionante na história de Harrison seja como os pesquisadores acreditam que ele adquiriu a alta concentração de anticorpos especiais que tem no sangue. Quando Harrison tinha 14 anos de idade, precisou de uma delicada cirurgia no peito que demandou 13 unidades de transfusão de sangue. Por causa da profunda gratidão de Harrison aos doadores que salvaram a sua vida, ele se sentiu compelido a retribuir com doações frequentes do seu próprio sangue. Pôde começar a fazê-las assim que completou 18 anos, e, depois de várias doações em vários locais de coleta, descobriu-se a característica tão incomum que levou o seu sangue a ser usado desde então para fazer o Anti-D. Em 1999, Harrison recebeu a Medalha de Honra Australiana em reconhecimento dos seus extraordinários esforços e da sua generosidade.

A história de James Harrison é um lembrete de que todas as dificuldades que enfrentamos na vida podem algum dia proporcionar um bem extraordinário ao próximo, bem como a chance de demonstrar a nossa gratidão pelo que os outros proporcionaram a nós.

Aos 14 anos de idade, ele passou por uma complexa cirurgia que removeu completamente um de seus pulmões e o manteve hospitalizado durante 3 meses. É fácil imaginar que, nessas circunstâncias desafiadoras, Harrison e seus pais tenham se perguntado: “Por que eu?”; “Por que o meu filho?”. A resposta veio na forma de 2,4 milhões de bebês cuja vida ele ajudou a salvar.

Tags:
BebêsgenerosidadeSaúde
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia