Aleteia
Quinta-feira 22 Outubro |
São Moderano
Atualidade

Jornalista mexicano morre espancado na fronteira com EUA

BORDER

U.S. Army photo by Maj. Randall Stillinge-(CC BY-ND 2.0)

Agências de Notícias - publicado em 30/05/18

Um jornalista mexicano morreu espancado no estado de Tamaulipas, na fronteira com os Estados Unidos, elevando a ao menos cinco o número de comunicadores assassinados no México este ano, informou a Procuradoria estadual depois de encontrar o corpo, nesta terça-feira (29).

Héctor González Antonio, “que colaborava como correspondente do jornal nacional Excélsior e meios de comunicação locais, morreu espancado”, reportou a instituição. Um colaborador da AFP e amigo do jornalista morto disse que ele havia desaparecido há dois dias.

O corpo do jornalista foi encontrado “esta manhã em uma rua da colônia Estrella” de Ciudad Victoria, capital de Tamaulipas, uma das regiões mais violentas do país pelo confronto entre traficantes de drogas, informou a Procuradoria.

“Ele estava desaparecido desde ontem com tudo e seu veículo, que não sabemos se foi localizado”, disse à AFP Balbina Flores, representante de Repórteres sem Fronteira, que pediu às autoridades mexicanas uma investigação de fundo e proteção para a família de González Antonio.

Tamaulipas é “um dos buracos negros da liberdade de imprensa, razão pela qual há alta probabilidade de que (o crime) tenha a ver com seu trabalho jornalístico”, acrescentou.

González Antonio, que também era colaborador das emissoras de rádio e da Televisa Monterrey, o escritório local da maior estação de televisão do México, era casado e tinha dois filhos.

Uma das últimas notícias reportadas pelo jornalista, de 42 anos, para o jornal Excélsior foi o assassinato de seu colega Carlos Domínguez, executado no município de Nuevo Laredo em janeiro passado. Também cobriu uma marcha de mães e familiares de desaparecidos ocorrida em 10 de maio, e outras informações de interesse humano.

O corpo foi encontrado em uma estrada de terra, e aparentemente foi arrastado, com camisa de mangas curtas em frangalhos, manchas de sangue e sem um sapato, segundo imagens distribuídas pela Promotoria regional.

“Ainda não sabemos quem matou Héctor González Antonio, nem porque”, mas é “simplesmente inaceitável”, disse à AFP Giancarlo Summa, diretor do Centro de Informação da ONU para o México.

O México, prosseguiu Summa, “é o país mais perigoso do mundo para os jornalistas, depois do Afeganistão (…). Exigimos que as autoridades esclareçam o mais rapidamente possível o que aconteceu e que prendam os responsáveis. A impunidade deve acabar”.

– “É perigoso publicar” –

Um amigo e colega de Héctor González, que desconhece as possíveis causas do homicídio, disse que era um jornalista “muito cuidadoso com o que publicava e dizia”.

Tamaulipas, reduto do cartel de Los Zetas, é um local onde “é perigoso publicar ou dizer coisas” sobre a violência que castiga quase diariamente seus moradores, prosseguiu o jornalista, sob a condição de ter sua identidade preservada.

Em 24 de maio, a jornalista Alicia Díaz González foi assassinada dentro de sua casa com uma arma branca. A ONU exigiu que não se descarte nenhuma linha de investigação, incluindo o feminicídio.

Mais de 100 comunicadores foram assassinados no México desde 2000. A maior parte dos crimes permanece impune.

Sem contar o homicídio de Díaz, este ano já foram assassinados quatro jornalistas, segundo as organizações Repórteres sem Fronteiras e Artigo 19.

Em 2017 foram mortos ao menos 11 jornalistas, em meio a uma onda de violência vinculada com o narcotráfico que deixou um número recorde de homicídios a nível nacional: 25.339.

Sem contar com o assassinato de Héctor González, 14 jornalistas foram assassinados em Tamaulipas, e 27 no estado vizinho de Veracruz, o mais letal do país para os comunicadores, segundo cifras da Artículo 19.

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
CARLO ACUTIS
John Burger
Como foram os últimos dias de vida de Carlo A...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
nuvens sinais
Reportagem local
Estão sendo fotografados "sinais do céu"?
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
st charbel
Reportagem local
Por acaso não está acontecendo o que São Char...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia