Aleteia logoAleteia logoAleteia
Sábado 20 Abril |
Aleteia logo
Atualidade
separateurCreated with Sketch.

China: empresas controlam as emoções dos empregados

ARTIFICIAL INTELLIGENCE

By Production Perig | Shutterstock

Marzena Devoud - publicado em 31/05/18

De olho na produtividade, algumas empresas estão usando sensores cerebrais para monitorar os sentimentos dos funcionários em tempo real

Bem-vindos ao mundo da transparência total, muito além da visão de George Orwell!

A partir de agora, na China, todas as emoções que os funcionários sentem são detectadas em tempo real por seus patrões. Isso inclui: depressão, tristeza, raiva, estresse, fadiga, excitação…

Doze empresas como companhias de transportes, logística e empresas do setor energético já instalaram o inédito sistema de vigilância. Os equipamentos com sensores cerebrais conectados diretamente a um sistema de inteligência artificial de computadores são capazes de detectar as emoções dos empregados.

Do “espaço aberto” ao “cérebro aberto”

Segundo os idealizadores do programa financiado pelo governo chinês, o controle das emoções deverá fomentar a produtividade dentro das empresas. “Um empregado muito sensível em um cargo chave pode afetar toda a cadeia de produção”, explica ao South China Morning Post o professor Jin Jia, responsável pelo desenvolvimento da novidade.

“Quando o sistema detecta um problema, o gestor pede ao empregado que tire um dia de folga ou trabalhe em uma função menos crítica. Algumas funções requerem uma concentração significativa e não admitem nenhuma margem de erro”, diz o professor.

A nova tecnologia revela cruelmente a ausência de uma lei que limite o uso deste tipo de sistema na China. Infelizmente, as questões de privacidade e exploração de dados pessoais foram absurdamente ignoradas.

Tags:
Mundosentimentostecnologia
Top 10
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia