Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Cadastre-se e receba Aleteia diretamente em seu email. É de graça.
Receber

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Corte IDH condena Venezuela por violação de direitos políticos

DDHH
Shutterstock-Edgloris Marys
Compartilhar

A Corte Interamericana de Direitos Humanos (Corte IDH) condenou a Venezuela por violar os direitos políticos e de expressão de três funcionárias públicas que foram demitidas após apoiar o referendo revogatório do mandato do então presidente Hugo Chávez, em 2003, informou o tribunal nesta quarta-feira.

Segundo a Corte, com sede em San José, o Estado venezuelano é responsável “pelo desvio de poder e discriminação política que significou o fim arbitrário” dos contratos de trabalho de Rocío San Miguel, Magally Chang e Thais Coromoto.

As três eram funcionárias do Conselho Nacional de Fronteiras, de onde foram demitidas após apoiar o referendo contra Chávez.

“Hoje meu coração se enche de alegria. Esta é uma sentença que ajuda a desmascarar o modelo depredador do poder instalado na Venezuela”, declarou San Miguel à AFP em Caracas.

Os fatos ocorreram em 2003, quando a oposição obteve mais de 3 milhões de assinaturas para promover o referendo revogatório do mandato de Chávez.

“A partir desta sentença fica demonstrado ao mundo como na base da Revolução Bolivariana na Venezuela existe uma política de apartheid”, declarou San Miguel.

O tribunal determinou uma série de medidas de reparação, várias destinadas a evitar que fatos como “este desvio de poder” não permaneçam impunes.

(AFP)