Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Alimente o seu espírito. Receba grátis os artigos da Aleteia toda manhã.
Inscreva-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

O amor e a perfeição em “matematiquês”

MATH
Diego Cervo - Shutterstock
Compartilhar

E se uma fórmula matemática falasse de Deus?

“Seja uma função y=f(x) definida sobre algum intervalo aberto que contenha o número a, sendo que não obrigatoriamente essa função necessita estar definida nesse ponto a. Podemos dizer que, o limite de f(x) vale L quando x se aproxima ou tende ao número a, se, e somente se, para todo número ε>0, existir um número correspondente δ>0 tal que 0< |x−a|<δ⇒|f(x)−L|<ε.”

Hoje, essa definição não saía da minha cabeça, nem na hora da oração. Resolvi então fazer uma relação dela com a perfeição e rezar com isso. Se f(x) for a função vida, se a=amor e o valor de L=Deus, posso concluir que o limite da função vida quando x tende ao número a, ou seja ao amor, é igual a Deus. Ou seja, quanto mais x (que é o valor empregado à função vida), se aproxima do amor, mais a vida se aproxima de Deus e mesmo que o valor de a possa não ser exatamente o amor (pois somos imperfeitos), o L, pode ser igual a Deus que pode ter intervalo zero de nós, ou seja, pode estar totalmente em nós.

Desta forma, não seria possível achar que a perfeição é utopia, pois mesmo imperfeitos, podemos estar em comunhão com Deus que é perfeito e pode nos conduzir a isso, mesmo com aqueles valores que tendem a nos afastar do amor e fazer o intervalo entre x e a, não ser zero. É quando ouvimos de Deus: “Sem Mim nada podeis fazer”.

Por Enne Karol,  consagrada da Comunidade de Aliança e professora de Matemática (Via Comunidade Sahalom)

Tags:
AmorDeus