Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Receba o nosso boletim

Aleteia

Não consigo superar o sentimento de culpa. O que fazer?

Shutterstock
Compartilhe este artigo para ter a chance de ganhar uma peregrinação a Roma
Compartilhar
Compartilhei
Compartilhamentos

Mesmo depois que você fez as pazes e foi perdoado, ainda pode ser difícil se perdoar...

Mesmo depois de fazermos as pazes por algo que fizemos de errado, às vezes continuamos pensando sobre isso… “Por que eu fiz isso? Como eu pude fazer isso? O que eu estava pensando? Como eu não pude perceber isso?”. Às vezes nos apegamos à culpa como se fosse um cobertor de segurança.

Quando você cometer um erro…

Talvez, na época, você simplesmente não estava vendo as coisas tão claramente como você está vendo agora, ou você perdeu seu autocontrole. Você pode ter deixado de prestar atenção suficiente, ou ser suficientemente empático ou magnânimo. Talvez a sua raiva tenha tirado o melhor de você ou, ao contrário, você permaneceu indiferente quando deveria ter agido. Talvez você tivesse muito pouco conhecimento ou experiência, ou fosse dominado por emoções que distorcem sua percepção da situação. Ou talvez você estivesse simplesmente cansado, doente ou enfraquecido por outra situação, potencialmente sem relação com esse evento. 

É possível que, mesmo agora, você não esteja se lembrando do evento objetivamente, com todas as suas circunstâncias; você só lembra o quão ruim você se sente sobre o que você fez.

Sentindo culpa

A culpa nos coloca no papel de um réu; é um promotor que constantemente nos acusa, causando estresse e ansiedade. Ela nos distancia do presente e do futuro; vivemos olhando para o passado. Mas você tem uma escolha! Você não precisa se torturar. Você pode se defender e ser seu próprio advogado. Você pode procurar circunstâncias que justifiquem seu comportamento, como as situações mencionadas acima (cansaço, ignorância etc.).

No entanto, às vezes o único argumento possível que lhe trará a paz é “culpado como acusado”. Você deve estar preparado para reconhecer que simplesmente pode estar errado. Não é o fim do mundo; todos nós cometemos erros e, às vezes, todos nós cedemos a impulsos e desejos indignos. Não é bom, mas é normal.

Se você está lutando com a culpa, talvez seja porque você não soltou seu orgulho. Humildade significa aceitar a si mesmo como você realmente é. Se você reconhecer suas falhas, pedir perdão, fizer o que estiver ao seu alcance para reparar os danos e tentar evitar a mesma falha no futuro, então você não tem nada do que se envergonhar. Você tem que parar de se punir e seguir em frente.

Você é chamado a perdoar aqueles que desrespeitam você, e você também deve perdoar a si mesmo.

Dê a si mesmo o direito de falhar

Se você sentiu remorso e fez as pazes, você não é uma pessoa má. Se você é católico, talvez também tenha se confessado para pedir perdão a Deus. Agora é hora de perdoar a si mesmo.

Espero que tenha amadurecido e mudado; agora você sabe mais, e nas mesmas circunstâncias reconheceria a situação e suas consequências. Talvez você tenha se comportado mal no passado, mas isso não é uma boa razão para atacar você mesmo agora. Você precisa entender que os erros são uma parte natural da vida.

Você não pode mudar o seu passado, mas pode pensar diferente. Mesmo que você não consiga esquecer, você ainda pode perdoar.

Perdoar a si mesmo significa curar sua memória

Perdoar não significa fingir que nada aconteceu. Nem significa esquecer o mal; em vez disso, significa estar aberto ao bem.

Então pegue o telefone e ligue para aquela pessoa que você machucou, para se desculpar e explicar. Escreva uma carta de perdão para você mesmo. Um católico poderia escrever tal carta antes de se confessar.

Ser um adulto não é apenas acordar e estar ciente dos seus erros. É também aceitar sua responsabilidade de respeitar a si mesmo. Não torne você mesmo uma vítima permanente; em vez disso, seja um protagonista em curar aquelas lembranças dolorosas e suas consequências, e seu próprio coração.

 

Selecione como você gostaria de compartilhar.

Compartilhar
* O crédito para artigos compartilhados será fornecido somente quando o destinatário do seu artigo compartilhado clicar no URL de referência exclusivo.
Clique aqui para mais informações sobre o Sorteio da Aleteia de uma Peregrinação a Roma

Para participar do Sorteio, você precisa aceitar os Termos a seguir


Ler os Termos e Condições