Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Você realmente pode ficar mais criativo com a idade

JAZZ MUSICIANS
Compartilhar

Um novo estudo acaba com o mito do “cérebro direito” ou “cérebro esquerdo”

Os artistas e músicos nascem criativos ou desenvolvem a criatividade através da prática? Talento ou esforço? Como acontece com a maioria das características, a resposta é: os dois. Embora o mito comum de “cérebro direito” ou “cérebro esquerdo” possa levar as pessoas a acreditarem que a criatividade é apenas para aqueles nascidos com aptidão, novas pesquisas mostram que o processo criativo envolve realmente os dois hemisférios do cérebro para prosperar.

Quando o neurocientista Dr. Charles Limb estudou músicos de jazz trabalhando, ele descobriu que a diferença na improvisação e memorização podia ser vista na ativação de partes do cérebro que permitiam a autoexpressão e o autocontrole, respectivamente. Para que os músicos produzissem música naquele momento, a área de seu cérebro responsável pela autocrítica teve que desaparecer temporariamente.

Dr. Limb descobriu ainda que o mesmo padrão é verdadeiro para outros processos criativos como dos comediantes.

Em outros estudos sobre a relação entre as áreas do cérebro e seu papel no processo criativo, os pesquisadores também desmascararam a teoria de que pessoas de “cérebro direito” são mais criativas.

“Os especialistas treinados, que são muito criativos, sempre disseram que era prática – muito esforço e prática – que lhes dava uma vantagem criativa, em vez do gênio, talento, aptidão com que eles nasceram”, disse Limb.

“Um dos pontos”, continuou ele, “é se você quer construir uma sociedade mais criativa, não há substituto do que apenas tentar e fazer isso. Nós vemos o cérebro criativo evoluir com o tempo. Não é apenas fixo no nascimento”.

 

Tags:
Valores