Aleteia
Sábado 24 Outubro |
São Maglório
Histórias Inspiradoras

Durma aquecido!

BEZDOMNY NA ULICY

Shutterstock

Revista Pazes - publicado em 14/06/18

O relato comovente de um juiz diante de um homem em situação de rua (e uma dica para você no final)

– Eu procurei sim o assistente social que o senhor falou!

Eu saia do shopping onde tinha ido tomar um café. Era domingo, início da noite, a temperatura caira e tudo indicava que a madrugada seria muito fria. O inverno antecipava-se por sobre o tímido outono que até então havíamos tido. Estava à pé, gostava de andar naquele horário.

O caminho para casa, com o vento frio batendo em meu rosto me trazia uma sensação agradável, fazia me sentir mais vivo, mais ligado ao tempo, à cidade, ao mundo. Logo que iniciei meu percurso, um rapaz sentado na calçada, vestindo um moletom com boné e capuz, uma bermuda de tactel e calçando chinelo de dedo, ao me avistar começou a falar comigo, como se estivéssemos já no meio de uma animada conversa.

De início não entendi o que ele queria dizer e nem se realmente falava comigo, pois podia apenas estar a repetir palavras, pensando alto para si próprio. Mas logo lembrei. Ele falava comigo sim.

Semanas antes eu o havia encontrado ali naquele mesmo lugar. Na ocasião ele me cumprimentou pelo meu nome e quando parei para responder, antes de qualquer coisa, ele disse que devia muito a mim pois eu o tinha soltado da prisão fazia uns meses, mas que os tempos estavam difíceis e ele, sem casa e sem trabalho, precisava de uma clínica para se tratar, para se livrar das drogas.

Os locais que tinha procurado não o haviam aceitado. Na época eu o orientei como fazer, a quem procurar, ele me agradeceu e depois não mais nos vimos. Até agora.

– E você conseguiu ajuda? – Fui direto ao ponto.

– Ainda não, não conseguimos vaga – o rapaz se levantou e me estendeu a mão para me cumprimentar.

Outras pessoas passavam por nós a passos apertados e nos voltavam o olhar, como se fizéssemos parte de uma cena inusitada ou curiosa, diferente. Deviam se perguntar o que o juiz (aqueles que me reconheciam) fazia conversando com um pedinte ou alguém em situação de rua. Sem nos importarmos continuamos nossa conversa.

– Mas então volte lá e diga que eu é que o recomendei – aquele rapaz precisava de uma alternativa.

– Vou fazer isso sim, amanhã mesmo.

– Faça isso.

– Sabe doutor – o rapaz olhou para baixo, como quem conversa com receio da resposta que pode ter – Ontem foi muito difícil, está muito frio, foi bem difícil mesmo.

– Você está querendo dizer que foi difícil dormir na rua? É isso?

– É, mas eu até estou acostumado. Mas nesse frio, ontem foi mais difícil.

Olhei para ele, de bermuda e chinelo de dedo. Eu estava usando sapato, calça, camisa e jaqueta de couro.

– E o centro POP?

– Eu já fui lá, mas tive uns problemas…

– Não precisa me contar, eu entendo – interrompi, não queria que ele achasse que eu o julgava. – E hoje? Você vai dormir aonde?

– Por aí, não sei, perto da praça tem uma marquise.

Levei a mão no bolso.

– Doutor, não parei o senhor para pedir dinheiro.

– Mas eu insisto.

Tirei uma boa nota. Ele levantou a mão para pegar. Quando viu o valor, sua mão com o dinheiro apertado dentro dela foi parar na altura do estômago.

– Meu deus doutor, muito obrigado! Estou com uma fome. Vou agora mesmo comprar uma comida bem boa.

– Faça mais, use esse dinheiro para dormir naquele hotel … que é simples e para viajantes. Acho que não pedem documentação. Se perguntarem de onde é o dinheiro, pode falar no meu nome.

– Não sei nem como agradecer.

– Não precisa. Amanhã volte a procurar o auxílio como lhe disse. E hoje durma aquecido.

Nos despedimos com um forte aperto de mãos. Continuando no caminho de casa, lembrei-me de uma mensagem repassada por minha irmã, sobre neste inverno sempre sair carregando uma muda de roupa a mais para ocasiões como essas. Parei e olhei para trás, não estava mais lá. Eu deveria ter dado minha jaqueta para ele.

João Marcos Buch é juiz de Direito.

(via Pazes)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
Valores
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
Rosário
Philip Kosloski
Benefícios do Rosário: 3 virtudes que aprende...
Papa Pedro João Paulo II Bento XVI Francisco
Reportagem local
Pedro, João Paulo, Bento e Francisco: 4 Papas...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia