Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

O que acontece no seu cérebro durante a oração

Por agsandrew
Compartilhar

A ciência explica

Há pesquisas que apoiam a ideia de que a oração pode desencadear a liberação de substâncias químicas no cérebro que nos fazem sentir bem.

Para aprender mais sobre isso, conversei com vários médicos, incluindo o Dr. David Spiegel, presidente associado de psiquiatria e ciências comportamentais e diretor médico do centro de medicina integrativa da Faculdade de Medicina da Universidade de Stanford, que discutiu como o cérebro se parece em oração.

As partes profundas do nosso cérebro estão trabalhando

O que acontece no seu cérebro durante a meditação ou oração

“Rezar envolve as partes mais profundas do cérebro: o córtex pré-frontal medial e o córtex cingulado posterior – as partes do meio, da frente e de trás”, diz Dr. Spiegel.

Acrescentando ainda que isso pode ser visto através da ressonância magnética (RM), com imagens anatômicas detalhadas. “Essas partes do cérebro estão envolvidas em autorreflexão e acalmar-se sozinho.”

Spiegel observa que, enquanto essas regiões reflexivas do cérebro são ativadas, partes do cérebro associadas à ação são desativadas.

É uma correlação interessante que Spiegel diz que pode desempenhar um papel no motivo pelo qual a oração ajuda pessoas que lutam com desejos viciantes.

Em um estudo recente, conduzido pelo NYU Langone Medical Center, membros dos Alcoólicos Anônimos foram colocados em um scanner de ressonância magnética e, em seguida, mostraram imagens relacionadas à bebida para estimular os desejos (funcionou, o que parece muito cruel).

Mas os desejos logo foram reduzidos quando os participantes – você adivinhou – rezaram.

Os dados da ressonância magnética mostraram mudanças em partes do córtex pré-frontal, que é responsável pelo controle da emoção e “a reavaliação semântica da emoção”, citou o estudo.

Oração nos afasta do modo de lutar ou fugir

O que acontece no seu cérebro durante a meditação ou oração

A ligação entre a reflexão profunda e a diminuição da ação pode ser útil ao lidar com um trauma ou outra situação negativa.

É bem simples: quando estamos orando, não podemos estar atacando ou chutando paredes. Em outras palavras, não podemos reagir.

Isso não quer dizer que a pessoa deva engolir sua raiva ou tristeza e prendê-la em uma oração, mas pelo simples propósito do autocuidado, a oração pode ser útil quando mal conseguimos lidar com algo.

“Oração e meditação são altamente eficazes na redução da nossa reatividade a eventos traumáticos e negativos”, diz o Dr. Paul Hokemeyer, um terapeuta de casamento, família e vícios.

“Elas são poderosas porque focam nossos pensamentos em algo fora de nós mesmos. Durante períodos de estresse, nosso sistema límbico, mais comumente conhecido como sistema nervoso central, se torna hiperativado, o que faz duas coisas: nos empurra para o modo de sobrevivência, onde congelamos, lutamos ou fugimos da situação, [ao ponto de] nos afastarmos do estado atual de ser para um estado futuro. Isso também impede nosso funcionamento executivo [e] nos impede de pensar com clareza. É por isso que, quando estamos estressados, podemos tomar decisões erradas e agir de forma autodestrutiva.”

Quando paramos e nos envolvemos em oração ou meditação, somos capazes de nos afastar desse modo de sobrevivência para “um estado intencional”, diz o Dr. Hokemeyer.

E finalmente “reengajar nosso córtex pré-frontal, a parte do cérebro que governa nosso funcionamento executivo e nos permite tomar decisões conscientes inteligentes”.

Desencadear substâncias químicas no cérebro que nos deixam felizes

O que acontece no seu cérebro durante a meditação ou oração

Há também pesquisas que apoiam a ideia de que a meditação e a oração podem desencadear a liberação de substâncias químicas no cérebro que nos fazem sentir bem.

A Dra. Loretta G. Breuning, fundadora do Instituto de Mamíferos Internos e autora de “The Science of Positivity” e “Habits of a Happy Brain”, explica que quando oramos, podemos ativar os caminhos neurais que desenvolvemos quando jovens para liberar hormônios como a ocitocina.

A ocitocina é conhecida por seu papel no trabalho materno e na lactação, mas também [permite] confiança social e apego, nos dando um bom sentimento, apesar de viver em um mundo de ameaça”, diz o Dr. Breuning. “É a ideia de ‘posso contar com algo para me proteger’. Então, quando surge uma situação e você está sem ideias e desamparado, se sentindo muito parecido com o que era quando bebê, a oração pode fornecer outra fonte de esperança”.

E esses atos meditativos podem ser uma maneira de ser real consigo mesmo – de localizar onde você está agora, o que está sentindo e identificar suas necessidades.

“[Orar, em parte,] é dizer para mim mesmo: Estou realmente sofrendo por causa de X. Estou realmente esperando por Y. Estou procurando apoio da Z”, diz Breuning.

Ela ainda acrescenta que, como prática repetida, a oração pode servir como um hábito útil para os momentos em que estamos sobrecarregados ou com dificuldade para descobrir uma solução.

Com muita frequência, corremos o dia todo e ignoramos nossos impulsos mais profundos”, diz Breuning. “Então, quando nosso trabalho acaba e tentamos descansar, os sentimentos ruins que ignoramos surgem, e temos problemas para resolver a causa e encontrar uma solução que restaure a esperança. Orar torna esse ato consciente útil em um hábito confiável”.

Equilibrando oração com ação

O que acontece no seu cérebro durante a meditação ou oração

Enquanto há certamente um argumento sólido a ser feito para os benefícios psicológicos da oração, uma discussão que surge com frequência (especialmente entre aqueles que são agnósticos ou ateus), é em torno do que a oração pode realmente fazer no mundo.

Como podemos usá-la não apenas para nos centrarmos e nos acalmar, mas para tomar uma ação positiva?

A chave, segundo o Dr. Hokemeyer, é em grande parte o equilíbrio.

O truque para equilibrar a oração com os resultados é reconhecer quando é a hora de orar/meditar e quando é a hora de fazer alguma coisa”, diz Hokemeyer. “Um dos propósitos da oração e da meditação é recuperar nosso alicerce para que possamos entrar no mundo e agir de maneira positiva: nos reconectamos, centralizamos, recarregamos e ganhamos a força necessária para dar passos que irão criar mudanças reais. Em outras palavras, a oração é o combustível que acende o fogo da ação”.

Dr. Anna Yusim, psiquiatra e autora de “Fulfilled: How the Science of Spirituality Can Help You Live a Happier, More Meaningful Life”, recomenda enfaticamente a oração, considerando-a uma “ferramenta maravilhosa e poderosa”.

Ela sugere que, depois de concluir a oração, você se endireite e faça a si mesmo a seguinte pergunta:

“O que posso fazer agora para ajudar alguém a quem amo?”

(Adaptado de Awebic. Este artigo é uma tradução do Awebic do texto originalmente publicado em NBC News escrito por Nicole Spector. Imagens: pexels.com e pixabay.com)