Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Como você pode ajudar sua filha a aumentar a confiança?

MOTHER,DAUGHTER,RELATIONSHIP
Shutterstock
Compartilhar

Uma autora oferece dicas para manter elevados os níveis de confiança das meninas

Uma pesquisa com quase 1.400 jovens entre 8 e 18 anos e seus responsáveis descobriu que a confiança das meninas cai em 30% entre as idades de 8 e 14. Até este ponto, os níveis de confiança permaneceram mais ou menos os mesmos entre meninos e meninas, então por que a queda repentina?

Em um mundo que coloca tanta pressão sobre as meninas, como as mães podem impedir que suas filhas sejam vítimas de uma queda tão dramática em seus níveis de confiança?

Claire Shipman, jornalista e coautora do The Confidence Code for Girls: Taking Risks, Messing Up, Your Amazingly Imperfect, Totally Powerful Self, compartilhou algumas dicas com a CNN sobre como ela ajuda suas filhas a construírem sua confiança através desses anos difíceis. Aqui estão três maneiras que ela recomenda:

  1. Incentive suas filhas a saírem da zona de conforto. Quanto mais experimentam coisas novas (e às vezes falham), mais confiantes estarão em si mesmas e em sua capacidade de enfrentar a vida.
  2. Faça sua filha registrar suas experiências e como ela lidou com isso. Mostre a ela como manter uma lista dos riscos que ela corre e as coisas novas que ela tentou. Se não foi bem, como ela superou isso? Mais tarde, a lista pode ajudá-la e incentivá-la a se lembrar que ela é capaz.
  3. Certifique-se de modelar mecanismos de enfrentamento saudáveis ​​para ela. Uma parte de sua pesquisa descobriu que os pais geralmente estão mais sintonizados com a falta de confiança da filha do que suas mães. Isso pode ser porque as mulheres são mais propensas a ignorar a luta da filha pensando nisso como normal para todas as meninas. Ser aberto com sua filha sobre seus próprios riscos e fracassos pode ajudar a evitar uma mentalidade perfeccionista.

Você pode ler o resto das sugestões de Shipman aqui (texto em inglês).