Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Um marido infiel e a ação de Jesus Eucaristia

Por asife/Shutterstock
Compartilhar

O Milagre da Fé comprovado no arrependimento de um casal e na conversão de um marido infiel

Você conhece o milagre de Santarém (Portugal, 1247)?

Conforme relatos da época, o milagre se deu com uma mulher chamada Euvira, a qual sofria com a infidelidade de seu marido. Cansada das traições por parte dele, resolveu procurar pelo trabalho de uma feiticeira que exigiu para a realização desse trabalho uma Hóstia Consagrada.

Euvira hesitou no primeiro instante, porém cedeu ao pedido e foi até a Igreja de Santo Estevão, onde se confessou e recebeu a comunhão. Sem que o sacerdote notasse, Euvira colocou a Hóstia Consagrada entre as dobras de seu véu.

De imediato, a Hóstia Consagrada começou a sangrar de tal maneira que chamou a atenção das pessoas que por ela passavam. Ao chegar em casa, Euvira escondeu o véu e a Hóstia em um baú que ficava no quarto do casal.

 

FOTOS1

 

Durante a noite enquanto dormiam, foram surpreendidos com uma luz que saía do baú e iluminava todo o quarto. Ao redor do baú havia anjos ajoelhados em adoração.

 

FOTOS3

 

Diante desse fato, a mulher confessou ao marido o que havia acontecido, e este imediatamente se arrependeu e se converteu.

Ambos se ajoelharam e passaram o resto da noite em adoração.

 

FOTOS2

 

Logo nas primeiras horas da manhã chamaram o pároco da igreja, que imediatamente levou as Sagradas Espécies de volta para a Igreja de Santo Estevão, onde sangrou ainda por mais três dias. Essa Partícula foi colocada em um relicário feito com cera de abelhas até 1340, logo após o relicário de cera foi substituído por um cibório de cristal, onde pode ser visto ainda nos dias de hoje.

 

FOTOS4

 

(via Fiel Pelicano)