Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Clube do livro católico: formação e comodidade

BOY LIBRARY
Compartilhar

Modelo de negócio ganha destaque no cenário de crescimento do mercado editorial religioso

Em 2017, o mercado editorial brasileiro faturou cerca de R$ 5,17 bilhões com a comercialização de 355 milhões de livros. É o que mostram os dados da Pesquisa de Produção e Vendas do Setor Editorial Brasileiro, realizada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe).

De acordo com o estudo, o faturamento específico das editoras do segmento religioso teve crescimento nominal de 4,61% em relação a 2016. Os livros com temática religiosa ficaram entre os três gêneros mais vendidos.

Seguindo uma tendência, autores católicos sempre figuram entre os primeiros colocados em listas de best-sellers. Atualmente, os livros “Combate Espiritual”, de Pe. Reginaldo Manzotti, e “Jesus, o Homem Mais Amado da História”, de Rodrigo Alvarez, estão entre as obras mais comercializados no Brasil.

Aliás, o interesse dos católicos pela leitura e pela formação religiosa constante fazem o segmento editorial especializado se mover. Neste cenário, alguns modelos de negócios alternativos se destacam, como é caso do clube do livro católico.

Como funcionam os clubes do livro católico

A maioria dos clubes do livro católico segue o mesmo funcionamento: o interessado paga uma assinatura mensal e recebe todos os meses em casa uma quantidade específica de livros e outros produtos, de acordo com o valor do pacote escolhido. As assinaturas geralmente são feitas pela internet e os preços variam.

Formação e exclusividade

Um desses clubes é o “Minha Biblioteca Católica”, que entrou no mercado em 2017. O clube surgiu de um interesse comum aos amigos Matheus Blauth e Matheus Bazzo: ter acesso a bons livros católicos. Assim, eles deram vida ao projeto, que surpreendeu já no primeiro mês, quando o número de assinaturas ficou acima do esperado e o site precisou ficar fechado por dois dias para não comprometer o estoque.

“Nossa missão é formar uma biblioteca verdadeiramente católica para sempre na casa dos nossos assinantes, preenchendo-a com os maiores tesouros da Tradição. Tesouros que ultrapassam o tempo e que também irão durar para as próximas gerações, fazendo da sua biblioteca uma fonte segura de conhecimento da doutrina e da fé católica”, afirma o empreendedor Matheus Bazzo.

Os livros escolhidos pela “Minha Biblioteca Católica” têm tiragens exclusivas aos assinantes. São obras com alta qualidade gráfica, que, possivelmente, passarão para as próximas gerações, contribuindo para a transmissão da fé católica.

Produtos integrados

Além dos livros, os assinantes da “Minha Biblioteca Católica” podem contar com vídeo-aulas virtuais ministradas por especialistas na temática debatida na obra. Exemplo: quando o clube entregou o livro “Confissões” de Santo Agostinho e a biografia de Santa Mônica (mãe de Santo Agostinho), os assinantes tiveram acesso a um vídeo com um debate sobre as “Confissões” conduzido pelo professor Rafael Falcón, que é especialista em latim e formação clássica. Com essa entrega extra, os idealizadores do projeto querem promover “um aprofundamento da fé, tornando-se um clube de formação cristã”.

Na internet, é possível encontrar outros clubes de assinatura. O Santabox, por exemplo, também oferece vários tipos de pacote, com livros e brindes exclusivos.

 

 

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.