Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Receba o nosso boletim

Aleteia

Pai manda mensagem emocionante à jovem filha que é defensora do aborto

YOUNG,MAN,MOUNTAIN
Compartilhar

“Você não foi planejada. Eu tive medo e outras coisas que prefiro não dizer. Mas nós defendemos a sua vida e você foi o nosso maior êxito"

Viralizou nas redes sociais a comovente mensagem do argentino Marcelo Savazzini à sua filha de 15 anos, que se diz a favor do aborto.

Junto com o seu texto, Savazzini publicou a foto da filha vestida com o lenço verde que caracteriza os promotores do aborto na Argentina. Em 14 de junho, a Câmara dos Deputados do país aprovou o projeto de lei do aborto que permite acabar com a vida do nascituro até o nono mês de gestação. O projeto ainda precisa passar pelo Senado.

As publicações de Marcelo Savazzini no Facebook estão restritas aos seus amigos, mas o conteúdo desta mensagem foi compartilhado a ponto de virar manchete na imprensa escrita e televisiva da Argentina.

Ele contou à filha sobre as circunstâncias da sua concepção:

“Há 15 anos, ou um pouco mais, eu soube que você tinha sido gerada. Você não foi planejada. Nós não esperávamos. Você não foi o fruto de um casal constituído com um projeto firme, mas [foi concebida] como consequência de uma relação sem proteção”.

Após confessar à filha que no começo sentiu medo e “outras coisas que prefiro não dizer”, Savazzini acrescenta:

“Mas tanto a sua mãe quanto eu decidimos seguir em frente com a sua vida. Apesar das dúvidas. Talvez tivesse sido mais fácil abortar e prescindir de uma grande responsabilidade… Se houvesse a possibilidade de apagar você num hospital público, de forma legal e gratuita… eu não sei o que teria decidido. Ou a sua mãe, em primeiro lugar. O essencial é que defendemos a sua vida. E foi o maior êxito da minha vida. Não foi fácil. Mas fiz o melhor que pude. E eu te amei desde o primeiro momento”.

O pai ainda fez os seguintes votos à filha:

“Hoje, eu só desejo que você seja uma boa pessoa. E, embora o lenço que você usa não coincida com os meus pensamentos, eu amo e respeito você. Só espero que, algum dia, você possa ver além do seu umbigo, saiba que o tema exige seriedade, porque se trata de vidas, e respeite e não ridicularize as pessoas que pensam diferente de você, especialmente a sua família e o seu mesmo sangue. O sobrenome é o de menos. Eu amo você #salvemosladosvidas (Salvemos as duas vidas)”.

_________

A partir de publicação da agência ACI Digital