Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Receba o nosso boletim

Aleteia

Emirados Árabes anunciam pausa na ofensiva contra a cidade iemenita de Hodeida

IRAQ ELECTION
SABAH ARAR I AFP
A man walks past electoral campaign posters in Baghdad on May 8, 2018. Arabic slogan on Hanan Nouri al-Rubaye's billboard (C) reads: "We are up to it".
With campaign posters cluttering the streets of Iraq, the almost 7,000 candidates running for parliament in upcoming elections are resorting to increasingly wacky pitches to woo voters. / AFP PHOTO / SABAH ARAR
Compartilhe este artigo para ter a chance de ganhar uma peregrinação a Roma
Compartilhar
Compartilhei
Total de Pontos

Os Emirados Árabes Unidos, envolvidos na ofensiva militar contra os rebeldes huthis entrincheirados em Hodeida, oeste do Iêmen, anunciaram neste domingo uma “pausa” na operação para permitir que a ONU consiga um acordo de retirada dos insurgentes.

Hodeida, cidade de 600.000 habitantes às margens do Mar vermelho, é o principal ponto de entrada das importações e da ajuda humanitária no Iêmen, país pobre e em guerra desde 2015.

Nesta guerra que deixou 10.000 mortos em mais de três anos, a batalha de Hodeida é a mais importante desde a ofensiva de 2015 que permitiu às forças leais ao governo de Hadi recuperar várias regiões do sul, entre elas Aden, que estava sob controle dos rebeldes.

Os huthis controlam Hodeida desde 2014.

“Reconhecemos os esforços do enviado especial das Nações Unidas, Martin Griffiths, para obter uma retirada incondicional dos huthis da cidade e do porto de Hodeida. Decidimos observar uma pausa (…) para dar tempo de exploração a esta opção” escreveu no Twitter Anwar Gargash, ministro das Relações Exteriores dos Emirados.

“Esperemos que consiga”, completou. O país é um pilar da coalizão que luta contra os rebeldes no Iêmsn, liderada pela Arábia Saudita.

O anúncio acontece depois de uma reunião de Griffiths com o presidente iemenita Abd Rabo Mansur Hadi, cujas tropas luta contra os rebeldes huthis pelo controle deste porto do Mar Vermelho.

Hadi pede aos rebeldes uma retirada total de Hodeida, cenário há várias semanas de uma ofensiva militar do governo iemenita apoiado por uma coalizão árabe.

Em duas semanas, os combates deixaram 429 mortos dos dois lados, segundo fontes militares e médicas.

O governo iemenita e a coalizão acusam os rebeldes iemenitas de receber armas iranianas neste porto. O governo do Irã nega.

Após a reunião com o emissário da ONU, o governo do Iêmen insistiu em uma retirada “total e incondicional” dos huthis de Hodeida.

Na quinta-feira, o representante das Nações Unidas viajou ao sultanato de Omã e se reuniu com o negociador dos rebeldes, Mohammed Abdesalam.

Nos próximos dias, Griffiths viajará a Aden, atual sede do governo iemenita — a capital Sanaa segue sob controle dos rebeldes – para uma nova rodada de negociações.

Griffiths informou que existe uma proposta para dar às Nações Unidas um papel de gestão do porto de Hodeida.

Mas tanto o governo de Hadi como os Emirados rejeitaram a ideia de uma retirada parcial dos huthis.

A coalizão árabe atua no Iêmen desde março de 2015 para ajudar o presidente Abd Rabo Mansur Hadi, reconhecido pela comunidade internacional, a frear o avanço dos rebeldes, que ocupam amplas regiões, incluindo a capital, Sanaa.

(AFP)

Selecione como você gostaria de compartilhar.

Compartilhar
* O crédito para artigos compartilhados será fornecido somente quando o destinatário do seu artigo compartilhado clicar no URL de referência exclusivo.
Clique aqui para mais informações sobre o Sorteio da Aleteia de uma Peregrinação a Roma

Para participar do Sorteio, você precisa aceitar os Termos a seguir


Ler os Termos e Condições