Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sexta-feira 30 Outubro |
Santo Angelo de Acri
home iconEspiritualidade
line break icon

Papa: todos são admitidos no caminho do Senhor

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE

Antoine Mekary | ALETEIA | I.MEDIA

Vatican News - publicado em 01/07/18

"Eu pergunto a vocês: cada um de nós se sente necessitado de alguma cura?", disse o Papa Francisco

O Evangelho de Marcos 5, 21-43 inspirou a alocução do Santo Padre no Angelus deste domingo. Eis a íntegra:

“Queridos irmãos e irmãs, bom dia!

O Evangelho deste domingo apresenta dois prodígios realizados por Jesus, descrevendo-os quase como uma espécie de marcha triunfal para a vida.

Primeiro, o evangelista fala de um certo Jairo, um dos líderes da sinagoga, que vem a Jesus e suplica a ele para que vá a sua casa, porque sua filha de doze anos está morrendo. Jesus aceita e vai com ele; mas, ao longo do caminho, vem a notícia de que a menina morreu. Podemos imaginar a reação daquele pai. Mas Jesus lhe diz: “Não tenha medo, apenas tenha fé!” Chegados na casa de Jairo, Jesus manda sair as pessoas que choravam, e também havia as mulheres carpideiras que gritavam forte, e entra no quarto somente com seus pais e três discípulos, e dirigindo-se à falecida diz: “Menina, eu lhe digo: levante-se!”. E imediatamente a menina levantou-se, como se despertasse de um sono profundo.

Dentro da história desse milagre, Marcos insere outro: a cura de uma mulher que sofria de hemorragia e foi curada assim que tocou o manto de Jesus. Aqui toca o fato de que a fé dessa mulher atrai – e me vem o desejo de dizer “rouba” – o poder salvador divino que existe em Cristo, que, sentindo que uma força que “saiu dele”, tenta entender quem tenha. E quando a mulher, com tanta vergonha, se aproxima e confessa tudo, Ele diz a ela: “Filha, a tua fé te salvou”.

Trata-se de duas histórias interligadas, com um único centro: a fé, e mostram Jesus como fonte de vida, como aquele que devolve a vida àqueles que confiam nele plenamente. Os dois protagonistas, isto é, o pai da menina e a mulher doente, não são discípulos de Jesus e ainda assim ficam tocados pela sua fé. Têm fé naquele homem. A partir disso entendemos que todos são admitidos no caminho do Senhor: ninguém deve se sentir como um intruso, uma pessoa abusiva ou alguém que não tem direito. Para ter acesso ao seu coração, ao coração de Jesus, há apenas um requisito: sentir necessidade de cura e confiar n’Ele.

Eu pergunto a vocês: cada um de nós se sente necessitado de alguma cura? De qualquer coisa, de qualquer pecado, de qualquer problema? E se sente isto, tem fé em Jesus? São dois os requisitos para ser curado, para ter acesso ao seu coração: sentir-se necessitado de cura e confiar n’Ele.

Jesus descobre essas pessoas na multidão e as tira do anonimato, libertando-as do medo de viver e ousar. Ele faz isso com um olhar e com uma palavra que as coloca em caminho depois de tantos sofrimentos e humilhações. Nós também somos chamados a aprender e a imitar essas palavras que libertam e esses olhares que restituem àqueles que são privados disto, o desejo de viver.

Nesta página do Evangelho, os temas da fé e da nova vida que Jesus veio oferecer a todos se entrelaçam. Entrando na casa onde já morta a menina, Ele expulsa aqueles que se agitam e se lamentam e diz: “A criança não morreu, está apenas dormindo”. Jesus é o Senhor e, diante dele, a morte física é como um sono: não há motivo para desesperar-se. Outra é a morte da qual devemos ter medo: a do coração endurecido pelo mal! Ah, dela sim devemos ter medo! Quando nós sentimos ter o coração endurecido, o coração que se endurece e me permito a palavra: o coração mumificado. Devemos ter mede disto. Esta é a morte do coração. Mas mesmo o pecado, mesmo o coração mumificado, para Jesus nunca é a última palavra, porque Ele nos trouxe a infinita misericórdia do Pai. E mesmo que caíssemos, a sua voz suave e forte nos alcança: “Eu te digo: levanta-te!”

É belo ouvir aquela palavra de Jesus dirigida a cada um de nós: “Eu te digo: levanta-te. Vai. Levanta-te, coragem. Levanta-te”. E Jesus restitui a vida à menina e restitui a vida à mulher curada: vida e fé às duas.

Peçamos à Virgem Maria que acompanhe nosso caminho de fé e de amor concreto, especialmente para com os necessitados. E invoquemos a sua intercessão materna por nossos irmãos que sofrem no corpo e espírito”.

(Vatican News)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
PapaPapa Francisco
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
OLD WOMAN, WRITING
Cerith Gardiner
A carta de uma irlandesa de 107 anos sobre co...
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
Reportagem local
Corpo incorrupto de Santa Bernadette: o que o...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia