Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Segunda-feira 23 Novembro |
Santo Anfilóquio
home iconReligião
line break icon

É muito importante rezar pelo Oriente Médio

BAPTISMAL SITE,JORDAN

Jeffrey Bruno | JTB | Aleteia

The site where Jesus was Baptized by John the Baptist

Vatican News - publicado em 02/07/18

Entrevista com o presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos, cardeal Kurt Koch

O presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos, cardeal Kurt Koch, concedeu uma entrevista à Agência Sir sobre o encontro ecumênico de reflexão e oração pela paz no Oriente Médio, convocado pelo Papa Francisco, no próximo dia 7, em Bari, na Itália.

O Papa visitará a cidade de São Nicolau que acolherá os patriarcas das Igrejas ortodoxas orientais.

“A nossa oração pelo Oriente Médio é muito importante para os cristãos que vivem naquela terra. Visitei dois campos de refugiados: na Jordânia e na Grécia. Eles me disseram: não se esqueça de nós, reze por nós. A oração é um sinal de proximidade e solidariedade para com as vítimas das guerras, por todos aqueles que sofrem”, disse o cardeal Koch.

O purpurado explicou, na entrevista, que a mensagem que esse dia quer dar aos cristãos do Oriente Médio é: “Vocês estão em nossos corações, em nossos pensamentos e em nossas orações”.

Para a comunidade internacional, “o encontro de Bari será um momento público no qual mostrar ao mundo a nossa unidade e testemunhar que a irmã da religião é a paz, não a violência. Esta é uma mensagem importante neste mundo em que, infelizmente, vemos a relação entre violência e religião, sobretudo nas formas de extremismo. Devemos dar um testemunho contrário a isso.”

O encontro ecumênico de reflexão e oração pela paz no Oriente Médio “é uma ideia que nasceu há muito tempo, pois a situação no Oriente Médio preocupa o Santo Padre”, disse ainda o cardeal.

“O Papa disse: chegou o momento de dar este sinal importante da oração pela paz em prol dessa região do mundo e convidar todas as outras Igrejas, sobretudo os patriarcas das Igrejas ortodoxas, orientais e católicas, em Bari, para rezar juntos pela paz. Tornar esse encontro público a fim de expressar proximidade e solidariedade a todos os cristãos e todos os homens e mulheres que vivem no Oriente Médio.”

O que mais preocupa o Santo Padre? “Certamente a guerra”, respondeu o cardeal Koch, “mas sobretudo o fato de que muitos cristãos estão deixando a região. O fato de que nessa terra permaneceram somente as lápides e não mais homens e não mais cristãos. Perdemos muito”.

O Papa se preocupa em apoiar os cristãos dessa região para que possam encontrar as condições de permanecer. “Esta também é uma questão premente dos patriarcas que dizem: estamos muito agradecidos por vocês acolherem os nossos refugiados, mas não lhes digam para vir. Pelo contrário, ajude-os a permanecer em suas terras.”

O Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos enviou o convite do Papa Francisco aos patriarcas das Igrejas ortodoxas.

“Muitos responderam de maneira positiva. Estão muito agradecidos ao Papa por promover esta iniciativa e muitos nos disseram que queriam participar pessoalmente. Outros não poderão porque tinham assumido outros compromissos e enviarão seus delegados. Mas, todos querem estar presentes e dar esse sinal de unidade por causa dos sofrimentos e perseguições dos cristãos.”

O cardeal Koch disse ainda na entrevista que “somente Deus pode converter os corações dos ditadores. Ele somente pode converter o pensamento dos políticos”.

“A oração é o que os cristãos possuem. Na oração todos os sofrimentos e perseguições são levados diante de Deus. Nós rezamos, mas as consequências da nossa oração estão nas mãos de Deus.”

“Vemos isso na passagem do Evangelho das Bodas de Caná. Maria não diz a Jesus que ele deve fazer um milagre. Ela só apresenta o problema a ele a fim de que decida o que fazer. Penso que essa imagem de Caná nos dá a medida de nossa oração: levamos todos os desafios, todos os problemas, todos os sofrimentos diante de Deus e deixamos que seja Ele a tomar a iniciativa”, concluiu o cardeal Koch.

(Vatican News)

Tags:
DiálogoPerseguição
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
FATHER PIO
Maria Paola Daud
Quando Jesus conversou sobre o fim do mundo c...
ŚWIĘTA TERESA WIELKA
Philip Kosloski
Oração de Santa Teresa de Ávila para acalmar ...
IOTA
Lucía Chamat
Imagem da Virgem resiste a furacão que devast...
EL TOCUY
Aleteia Brasil
Pe. Gabriel Vila Verde: há muita diferença en...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Atenção: versão falsa e satânica da Medalha M...
POPE AUDIENCE
Reportagem local
A oração de cura que pode ser dita várias vez...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia