Aleteia
Segunda-feira 19 Outubro |
Santos Mártires Canadenses
Estilo de vida

Você está conectado(a) ou preso(a) à internet?

155142457

Getty Images

Javier Fiz Pérez - publicado em 03/07/18

O uso excessivo e compulsivo da internet pode causar o "cibervício"

O vício em internet – ou “cibervício” – pode ser definido como “a perda do controle frente ao uso racional da internet”.

Um dos fatores de identificação de um ciberviciado é o uso da internet de forma excessiva e compulsiva. Além disso, o indivíduo não consegue parar de acessar a web. Isso traz muitas consequências para a pessoa tanto do ponto de vista individual quanto em relação às responsabilidades sociais.

Atualmente, nós nos conectamos à internet de qualquer lugar através de nossos celulares, tablets e computadores. Nossa vida sem esses dispositivos seria totalmente diferente. Mas, o que acontece se começamos a usar as tecnologias como um fim, em vez de um meio?

Causas do “cibervício”

Para o viciado, a internet cobre ou compensa um déficit de sua personalidade. Pode ser um instrumento de comunicação interpessoal ou uma válvula de escape do mundo real. Em alguns casos, a internet chega a ser uma substituta da vida real. Por isso, pode-se dizer que a rede supre dois tipos de necessidades básicas:

  1. Conseguir que uma pessoa solitária se sinta bem e acompanhada através de jogos, imagens e informação sem ter a necessidade de se comunicar com outra pessoa.
  2. Busca de interação social.

As pessoas que têm depressão tendem a sofrer de “cibervício” também, já que elas se sentem atraídas pela grande variedade de possibilidades que a internet proporciona, além do anonimato.

Normalmente, o “cibervício” é mais comum na adolescência, quando a internet passa a ser o principal meio de socialização para os jovens.

Componentes do vício

A pessoa viciada em internet passa um tempo excessivo navegando pela rede, seja jogando, conversando ou comprando. A vida deste indivíduo é totalmente afetada por esse vício, que se torna um problema para ele e para as pessoas à sua volta.

Em todo vício, podem ser identificados três elementos:

  1. uma pessoa;
  2. circunstâncias pessoais determinadas;
  3. uma substância ou situação que produza prazer.

Mas veja bem: se uma pessoa passa horas conectadas à internet não quer dizer que ela seja uma viciada; temos que conhecer as circunstâncias pessoais e o motivo que a fazem passar tantas horas em frente a um computador.

Não podemos rotular uma pessoa com base apenas no tempo em que ela fica conectada. Então, quando podemos dizer que uma pessoa é viciada em internet? Quais são os sinais de alerta?

Alguns sinais de alerta

  • Ficar conectado à rede durante todo o dia, privando-se de horas de descanso;
  • deixar de prestar atenção a temas importantes ou a outras atividades, como: o contato com a família, as relações sociais, o estudo, o cuidado com a saúde;
  • receber queixas da família ou de amigos em relação ao tempo que você fica na rede;
  • ficar pensando na internet mesmo sem estar conectado;

    mentir sobre o tempo que você passa conectado;
  • reduzir o rendimento nos estudos, passar a apresentar irritabilidade constante e falta de interesse em se relacionar com outras pessoas;
  • sentir-se excessivamente eufórico diante do computador.

Conselhos práticos para pais, mães e educadores

Educar os filhos de maneira preventiva é necessário, já que o uso de novas tecnologias aumentará exponencialmente com o tempo. São instrumentos que, se usados corretamente, podem ser muito eficazes.

Mas, como todos os instrumentos, depende de como são usados e a da finalidade do uso. A educação, neste campo, é insubstituível.

E o que os pais e educadores podem fazer? Uma das dicas é não deixar o computador no quarto das crianças. Coloque-o em um lugar em que a família inteira possa ter acesso fácil (a sala ou a cozinha, por exemplo). Pais e educadores devem limitar o tempo de exposição das crianças às telas, bem como conhecer os jogos e aplicativos que elas usam, além das páginas que estão acessando.

É preciso também dedicar um tempo para falar com as crianças sobre os riscos e os benefícios da internet.




Leia também:
Vício em videogames: sintomas e tratamentos

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
DescansotecnologiaVícios
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
st charbel
Reportagem local
Por acaso não está acontecendo o que São Char...
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
FATIMA
Philip Kosloski
Fotos raras dos 3 pastorinhos de Fátima
POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE
Reportagem local
As 3 orações que o Papa pediu para rezarmos e...
Pe. Gilmar
Reportagem local
Brasil: padre desaparece e manda mensagem com...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia