Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Receba o nosso boletim

Aleteia

Pesquisas mostram que ler um tipo de livro pode prolongar sua vida

WOMAN READING
Shutterstock
Compartilhar

Se você tem mais de 50 anos: ler livros traz benefícios extraordinários quando se trata de longevidade

Quando li pela primeira vez um artigo na Inc., pensei:  Ganhei! Eu vou viver para sempre. Então eu reli e fiquei um pouco chateada por um minuto, porque os pesquisadores de Yale que descobriram que a leitura prolonga a expectativa de vida humana estavam apenas estudando os hábitos de leitura e vida de pessoas com mais de 50 anos. A correlação encontrada entre mais leitura e uma vida mais longa ainda é muito emocionante, mesmo que não seja aplicável a mim…  ainda… 

As pessoas que leem livros vivem mais

De acordo com pesquisadores de Yale, que estudaram 3.635 pessoas com mais de 50 anos, descobriram que aqueles que leem livros por 30 minutos diariamente vivem uma média de 23 meses a mais do que os não leitores ou os leitores de revistas. Aparentemente, a prática de ler livros cria um engajamento cognitivo que melhora muitas coisas, incluindo vocabulário, habilidades de raciocínio e concentração. Também pode afetar a empatia, a percepção social e a inteligência emocional, cuja soma ajuda as pessoas a permanecer no planeta por mais tempo.

Nenhuma dessas coisas me surpreende, eu que sou uma ávida leitora de longa data… exceto o fato de que todo esse engajamento cognitivo e emocional realmente prolonga nossa expectativa de vida. Mas, faz sentido – afinal, a leitura é uma coisa que você faz todos os dias, e esse tipo de estímulo intelectual e emocional está fadado a ter um efeito cumulativo positivo.

Então eu comecei a pensar sobre os meus hábitos de leitura, e percebi que recentemente eles não são tão bons. Não me entenda mal, eu li muito – uma quantidade significativa – sobre anatomia e fisiologia humana enquanto estudava. Li artigos interessantes que as pessoas me enviaram e li as atualizações de status do Facebook dos meus amigos. Mas, fazer uma leitura extra… nem tanto.

Isso é surpreendente e triste para mim, porque ler é algo que eu amo. Sempre foi uma parte fácil e agradável do meu dia, seja ler um novo romance de ficção científica ou um best-seller de psicologia. Mas, ultimamente, deixei esse hábito cair no esquecimento, e agora que estou ciente disso, percebo que tenho sentido uma sensação de perda sutil, porém penetrante. Eu sinto falta de ler ficção.

Tenho certeza de que há muitas razões para isso, mas pode ser que, de acordo com a Inc., a leitura de ficção ajude as pessoas a permanecerem abertas, diminuindo nossa necessidade de “fechamento cognitivo”. Basicamente, aprendemos a aceitar não ter todas as respostas e estar confortável em um estado de busca.

Na minha experiência, estar confortável em não ter todas as respostas é uma habilidade essencial para os pais. É também uma habilidade essencial para todos que querem viver uma vida livre e gratificante. Precisar ter todas as respostas para tudo pode nos aprisionar em uma rigidez que pode nos impedir de conhecer novas pessoas, experimentar novas ideias e tentar coisas novas. E quem quer viver uma vida assim?

Eu não! Eu vou fazer tudo que puder para me manter aberta, começando por pegar um novo livro de ficção hoje. Se a leitura vai me dar mais anos para viver, vou me certificar de que eu possa aproveitar esses anos da maneira mais completa possível!