Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Terça-feira 24 Novembro |
Santas Flora e Maria
home iconEstilo de vida
line break icon

Você é um millennial se...

MAN IN THE CITY

Svetikd | Getty Images

Miriam Diez Bosch - publicado em 08/07/18

Você é impaciente, competitivo e está sempre conectado?

Millennials estão por toda parte. Sempre que as pessoas falam sobre progresso ou inovação, seu nome é sempre mencionado. Eles são o centro de todas as nossas esperanças para o futuro e, ao mesmo tempo, o foco de muitas críticas. Guido Stein, professor da IESE Business School da Universidade de Navarra, é uma espécie de especialista no assunto, com artigos e livros sobre isso em espanhol e inglês.

Millennials são pessoas nascidas depois de 1980 e antes do ano 2000. É uma geração que, de acordo com Stein, tem luzes e sombras, e é “digna de respeito e admiração de muitas maneiras”, embora precise “amadurecer e receber um empurrão em muitos aspectos”. Stein escreve que “nenhuma geração teve isso tão fácil e tão difícil ao mesmo tempo” porque eles estão “imersos em um nevoeiro inconstante criado pela geração que os precedeu, o materialismo e o egoísmo do mundo ao redor deles, e a incerteza que é parte do ar que eles respiram”.

Segundo ele, alguns dos traços mais comuns da geração do milênio são:

– Eles cedem aos hábitos sociais predominantes. Os membros da geração do milênio são mais semelhantes entre si do que as gerações anteriores, devido à homogeneidade das informações e valores que receberam através da mídia. Esta é também a consequência da globalização. Apesar disso, eles “não fazem concessões quando se trata do que eles acreditam ser importante”.

– Eles são muito ligados aos seus avós. Porque seus pais (muitas vezes pertencentes à Geração X) estão intensamente focados no trabalho, muitos millennials passaram mais tempo com seus avós do que com seus pais e assimilaram alguns de seus valores; “por exemplo, a ideia de que há algumas coisas mais importantes do que o trabalho ou o sucesso” – embora, diz Stein, “pareça que a família não será uma de suas prioridades”.

– A mídia é o seu guia. Sua educação foi amplamente baseada em mensagens da televisão, da Internet e das redes sociais. Sua ideia de autoridade é diferente da geração anterior. Millennials confiam em outros millennials. Nesse sentido, segundo o professor Candice Kelsey, que Stein cita em seu livro, há quatro mensagens que esses jovens absorvem nas redes sociais e aplicam em suas vidas:

  1. “Eu devo me divertir em todos os momentos.
  2. Se você tem isso, ostente-o.
  3. Sucesso significa ser um consumidor.
  4. A felicidade é um adulto glamoroso”.

– Eles estão sempre conectados. Nunca os membros de uma geração ficaram mais conectados uns aos outros, graças às redes sociais. No entanto, de acordo com Stein, é provável que tenham um relacionamento muito superficial com muitas pessoas e saibam muito pouco delas, já que o tempo necessário para consolidar um relacionamento com uma pessoa é muitas vezes dedicado a conhecer mais pessoas.

– Eles projetam uma imagem de quem eles querem ser, não necessariamente quem eles são: os millennials podem manipular a imagem que eles apresentam nas redes sociais. Por outro lado, eles também estão sendo constantemente analisados ​​por seus pares, o que, segundo Stein, pode provocar insegurança e ansiedade. Seu objetivo é ser reconhecido e até mesmo ter fãs. “Os millennials podem parecer mais egocêntricos e narcisistas do que as gerações anteriores”, escreve Stein.

– Eles são impacientes: os millennials foram criados em uma cultura de imediatismo. Eles são multitarefas especializados, confortáveis ​​em várias tarefas ao mesmo tempo, em várias plataformas digitais. Isso pode ter um impacto negativo em sua concentração.

– Eles estão de mente aberta: dado o grande número e facilidade de interações e relacionamentos com muitas pessoas, esta geração aceita diferenças e mudanças muito mais facilmente do que as gerações anteriores.

– Eles não são contraculturais ou rebeldes: para a geração do milênio, não há um modo de olhar a vida; em vez disso, eles “flutuam em múltiplas subculturas”. Nesse sentido, eles não reconhecem líderes tradicionais fortes. Seus modelos são mídias sociais “influenciadoras”.

– Eles buscam significado no que fazem; não satisfeitos em apenas ganhar dinheiro, eles “precisam sentir que o que fazem vale a pena”. Eles são motivados por causas e por “fazer parte de algo importante que afeta positivamente seu meio ambiente”.

É uma geração de pessoas que constantemente ajustam suas vidas diárias para serem mais produtivas, mais motivadas e mais felizes.

Em última análise, toda geração tem seus pontos fortes e fracos, e enquanto podemos fazer generalizações sobre eles, nunca devemos julgar qualquer indivíduo baseado puramente em um estereótipo de pessoas nascidas na mesma década.

Em vez disso, devemos aprender a entender que  nós e aqueles com quem lidamos são, em parte, o produto de um determinado contexto cultural – o lugar, o tempo e a família em que fomos educados –, mas ninguém é escravo de sua educação.

Podemos e devemos usar nosso livre arbítrio para alavancar nossos pontos fortes, enquanto nos esforçamos para superar nossas fraquezas pessoais e geracionais.

Relacionamentos intergeracionais são vitais para esse fim; sejamos nós, baby boomers, geração X ou geração do milênio – ou qualquer coisa entre, antes ou depois – podemos aprender uns com os outros e enriquecer uns aos outros com nossas diferentes perspectivas, habilidades, erros e experiências. Juntos, podemos construir um futuro melhor.

Tags:
InternetJuventudetecnologiaValores
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
FATHER PIO
Maria Paola Daud
Quando Jesus conversou sobre o fim do mundo c...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Medalha de São Bento
pildorasdefe.net
Oração a São Bento para afastar o mal e pedir...
Reportagem local
Oração para afastar o mal de um recinto
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
pildorasdefe.net
Por que você não vai para frente? Talvez este...
AGNUS DEI,LAMB
Jesús Colina
Ninguém consegue ouvir este “Agnus Dei” sem s...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia