Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Pouco conhecido na Tailândia budista, Papa comoveu país ao rezar por meninos

© Antoine Mekary / ALETEIA
Compartilhar

A proximidade de Francisco aos adolescentes presos na caverna repercutiu e foi apreciada com gratidão pelo povo tailandês, que quase desconhece o cristianismo

Em conversa por telefone com a agência de notícias do Vaticano, a Vatican News, um sacerdote católico italiano que é missionário na Tailândia falou sobre a comoção nacional em torno ao dramático e bem-sucedido resgate dos 12 meninos e seu treinador após mais de duas semanas presos na caverna Tham Luang.

O pe. Raffaele Sandonà, da Missão Católica de Kiang Mai, não muito distante da localidade em que a caverna se situa, destacou o quanto foram bem recebidas pela população tailandesa as orações da comunidade católica. Em especial, repercutiu no país o apelo público do Papa Francisco para que fossem feitos todos os esforços a fim de resgatar os adolescentes. O Santo Padre também garantiu, é claro, que rezava por todos eles.

A fala do Papa Francisco foi destacada por todos os meios de comunicação locais e mencionada por diversas autoridades tailandesas.

Trata-se de um fato destacável porque o país tem amplíssima maioria budista e, nesse contexto, não costuma haver interesse da população pelas declarações e personalidades do cristianismo. No entanto, mesmo havendo apenas um conhecimento vago a respeito de quem é o Papa, a percepção geral sobre Francisco na Tailândia é de simpatia. Esta sua manifestação específica de apoio e de oração pelos meninos e pelo seu treinador despertou entre muitos tailandeses uma notável onda de gratidão e de apreço pelo pontífice.