Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Receba o nosso boletim

Aleteia

Cuidar dos netos faz bem para a saúde dos avós

Grandparents GRANDCHILDREN
By Monkey Business Images | Shutterstock
Compartilhar

Estudos comprovam que a “netoterapia” pode ajudar a prevenir a depressão e até o Alzheimer

Na França, 2/3 da população infantil recebem os cuidados de seus avós regularmente, seja nas férias, nos dias sem aulas ou nas excursões realizadas pelos colégios. É o que aparece no estudo sobre os avós, feito em 2014 e que recebeu o nome de Share. A pesquisa mostrou que 7% dos avós franceses cuidavam diariamente dos netos, e a metade deles ajudava quando surgia algum imprevisto (doenças, falta da babá etc) ou durante as férias escolares. 

E há uma boa notícia para vovôs e vovós que se acham sacrificados: cuidar de forma regular dos netos permite aproveitar a vida por mais tempo.

Segundo o Berlin Aging Study, um estudo sobre o envelhecimento em Berlim, que juntou dados de 500 idosos, o cuidado com as crianças melhora as funções cognitivas, diminui o risco de desenvolver Alzheimer e reduz o estresse. 

Deste modo, as pessoas com idade avançada podem ficar mais ativas e estimuladas a provar coisas novas. Além disso, ao recordarem as boas lembranças para compartilhá-las com os pequenos, os idosos fazem um exercício excelente para a memória. 

Outra pesquisa – da Universidade de Melbourne, na Austrália – comprovou os efeitos da “netoterapia” para a prevenção ao Alzheimer. Durante dez anos, os pesquisadores acompanharam 131 vovós entre 57 e 68 anos. Elas passaram por avaliações de memória. Resultado: A pesquisa mostrou que as avós que cuidavam dos netos um dia por semana tiveram melhor desempenho no teste de memória.  Elas se lembraram de 69% das palavras, 6% a mais do que as que nunca ficam com os netos.

Por outro lado, ficar muito tempo com os netos também pode prejudicar as funções do cérebro. No estudo australiano, as mulheres que ficavam com os netos cinco ou mais dias na semana se lembraram apenas de 55% das palavras e a velocidade de raciocínio delas foi 21% mais lenta que a de todas as outras avós.

Claro, é preciso encontrar um equilíbrio justo e saudável. O efeito positivo do cuidado com os netos pode ser reduzido quando surgirem o cansaço e o esgotamento. Por isso, como os avós cuidam dos netos, os pais também têm que cuidar dos avós!