Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Quando o casamento precisa de proteção e cuidados especiais

COUPLE
George Rudy - Shutterstock
Compartilhar

É imprescindível manter viva a chama do amor, mesmo que o casal passe por momentos complicados

Eu amo plantas. Bem na entrada da minha casa tinha uma pequena palma, que me seguiu de casa em casa, em todas as mudanças que eu fiz. 

Meses atrás, todas as folhas dela caíram. Estava desagradável de ver! Meu esposo disse que ia tirá-la da sala, porque ela estava muito feia. Eu não queria retirá-la de lá. Mas decidi mudá-la de ambiente. Eu queria salvá-la. Por isso, coloquei-a no jardim, onde minha palma poderia receber luz e sombra adequadas. 

Mesmo depois de semanas, parecia que o tronco continuava sem vida. Porém, nunca deixei de regar e colocar adubo na plantinha. Passou um tempo e começaram a brotar novas folhas. Hoje, ela está linda! A planta só precisava mudar de ambiente e receber cuidados especiais. Precisava, principalmente, da minha paciência.  

O exemplo da minha plantinha me lembrou – e me lembra – que assim também é o amor conjugal… Ha épocas em que tudo parece murcho, que não há nada para fazer. Mas não é bem assim. Quando tudo está difícil é justamente o momento de termos mais cuidado e colocarmos barreiras de proteção na relação. Assim como minha planta começou a dar sinais de que precisava  de mudanças porque estava morrendo, o amor conjugal vai mandando sinais de pedidos de ajuda, de que há mudanças a fazer e de que está precisando de cuidados extras. 

Há circunstâncias e experiências que exigem mais atenção e dos casais. São situações que podem ninar um relacionamento. Estas são algumas delas:

  1. Quando começa a dar preguiça de cuidar do cônjuge. Lembre-se de que a ajuda é o veículo do amor e que nos casamos para ajudarmos um ao outro;
  2. Quando negamos nosso corpo ao nosso cônjuge sem causa justificada, somente por egoísmo. Lembre-se de que toda vez que nos entregamos intimamente renovamos nosso amor;
  3. Quando uma terceira pessoa desperta a nossa atenção. Sejamos honestos, sabemos que podem haver pessoas mais atrativas que o nosso cônjuge. Portanto, fechemos nossos olhos. Se há alguém que está tirando o seu chão, pare imediatamente e reflita sobre a sua relação. Cuidado, você pode estar pisando sobre areia movediça;
  4. Quando há problemas financeiros. A maioria dos casais passa por isso. No entanto, é preciso focar somente no que tem valor, não no que tem preço. Tudo se resolverá, tenha calma;
  5. Quando você perceber que gosta de passar mais tempo com amigos do que com seu cônjuge. Supõe-se que seu marido ou sua esposa seja o seu melhor amigo (a). É preciso alimentar o laço de amizade entre vocês; 
  6. Quando você quer sair de férias somente com os amigos, sem o cônjuge. Essa é uma prática comum entre casais jovens. O que esses casais não sabem é que isso deixa o matrimônio vulnerável. Este tipo de viagem não é prudente;
  7. Em casos de doenças ou outro problema sério. Haverá momentos em que caberá a um só remar para levar adiante a família, uma vez que o outro estará incapaz. Outras vezes, a união dos dois será a fortaleza diante das vicissitudes. Nestas ocasiões, você se lembrará de que o seu compromisso de estar sempre presente, “na alegria e na tristeza, na saúde e na doença” não foi em vão. 

Enfim, lembre-se de que o amor conjugal é como uma plantinha, que precisa ser regada para permanecer viva. Se o seu casamento passa por um período difícil, entregue-o a Deus com todo o seu coração. Chuvas de misericórdia divina costumam cair nos momentos em que as esperanças estão secas.