Aleteia
Quinta-feira 22 Outubro |
São Moderano
Curiosidades

A Igreja tem jurisdição sobre a lua?

MOON,CHRIST THE REDEEMER

Yasuyoshi Chiba | AFP

Jaime Septién - publicado em 23/07/18

Uma divertida "polêmica" agitou duas dioceses norte-americanas por ocasião do histórico programa espacial Apollo

No último 20 de julho completou-se mais um aniversário desde que o astronauta norte-americano Neil Armstrong se tornou o primeiro homem a pisar na superfície da lua.

Por ocasião desse aniversário, a jornalista Adelaide Mena, que escreve de Washington para o Our Sunday Visitor (OSV), publicou um curioso texto intitulado “A Igreja tem jurisdição sobre a lua?“.

A reportagem se baseia numa entrevista com o padre Richard Walsh, sacerdote de origem irlandesa recém-ordenado naquela época: em 1968, ele chegou à paróquia de Nosso Salvador, em Cocoa Beach, na Flórida, a poucos quilômetros das plataformas de lançamento do Centro Espacial Kennedy e da estação de Cabo Canaveral.




Leia também:
Mike Hopkins, o astronauta que levou o Santíssimo para o espaço

Uma paróquia com a cabeça na lua

A chegada do padre Walsh foi pouco antes dos lançamentos da Apollo 9 e da Apollo 10, com voos tripulados que, respectivamente, circundavam a Terra e a Lua. O sacerdote desenvolveu um sólido relacionamento com as equipes terrestres e espaciais das missões Apollo, cujos astronautas visitavam com frequência a casa paroquial. Era o caso de Eugene Cernan, que esteve a bordo da Apollo 10 e da Apollo 17 e foi o décimo primeiro homem a chegar à lua, e de Bill Anders, da Apollo 8, que foi até tomar café-da-manhã na paróquia.

Em junho de 1968, cerca de seis meses antes que a Apollo 8 orbitasse a lua pela primeira vez, foi fundada a diocese de Orlando, que abrange vários condados, incluindo o de Brevard, onde ficam o Cabo Canaveral e o Centro Espacial Kennedy.

Após o pouso na lua, o primeiro bispo da nova diocese, dom William Borders, conhecido pelo bom humor, afirmou ao Beato Papa Paulo VI que o pontífice estava falando com ninguém menos que o “bispo da lua“.

Mas, afinal, quem na Igreja teria jurisdição sobre a lua?

Segundo o Código de Direito Canônico de 1917, que estava em vigor na época, os territórios recém-descobertos ficariam sob a jurisdição da diocese de onde a expedição tivesse partido. No caso da lua, a diocese de partida dos “descobridores” era a de Orlando.

Entretanto, dom Borders não foi o único a “reivindicar” a jurisdição canônica sobre a lua: o então arcebispo de Nova Iorque, dom Terence Cooke, também a “reivindicou” por ser o vigário do Ordinariato Militar – de fato, cabia a ele a jurisdição sobre as bases militares dos Estados Unidos, incluindo a de Cabo Canaveral.

Caso a bem-humorada “polêmica” virasse coisa séria, não haveria grandes dificuldades para solucioná-la: o mesmo Código de 1917 também estabelecia que era o Papa o responsável final pela delegação da jurisdição territorial às dioceses.

Obviamente, para além das divertidas “reivindicações” dos dois bispos, não houve qualquer querela a este respeito, já que a jurisdição no Código de Direito Canônico “não significa nada se não há ninguém sobre quem ter jurisdição“, conforme bem observou o pe. John C. Giel, Chanceler de Assuntos Canônicos da Diocese de Orlando:

“Como ainda não encontramos vida na Lua, a história apenas enfatiza a natureza boa e bem-humorada de dom Border, que lhe permitiu ser um bom primeiro bispo da Flórida Central”.




Leia também:
A véspera de Natal em que os astronautas leram a Bíblia enquanto orbitavam a Lua

A “queixa” do padre Walsh

O padre Walsh testemunhou quase todos os lançamentos do programa Apollo, exceto, ironicamente, o da Apollo 11, que foi o que de fato chegou à lua:

“Eu estive presente em quase todos os grandes lançamentos, com exceção do lançamento real da lua”.

É que o sacerdote passou a maior parte do verão de 1969 em Washington, continuando os estudos na Universidade Católica da América. Ele só pôde assistir ao histórico lançamento como a maioria da população: pela TV.

Dando continuidade ao bom humor que parece caracterizar os padres envolvidos com a conquista da lua, ele “se queixa”:

“Fiquei feliz em ver, mas acho que teria ficado muito mais se tivesse estado em Cocoa Beach ou no Centro Espacial Kennedy para o evento real”.
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
BisposCiênciaHistória
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
CARLO ACUTIS
John Burger
Como foram os últimos dias de vida de Carlo A...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
nuvens sinais
Reportagem local
Estão sendo fotografados "sinais do céu"?
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
st charbel
Reportagem local
Por acaso não está acontecendo o que São Char...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia