Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Receba o nosso boletim

Aleteia

Dependência: quando começa?

DRUG,ADDICTION
Shutterstock
Compartilhe este artigo para ter a chance de ganhar uma peregrinação a Roma
Compartilhar
Compartilhei
Compartilhamentos

O uso de drogas pode levar ao vício ou à dependência

Dependência ou vício em drogas consiste no uso compulsivo de uma substância, apesar das consequências negativas que isso implica, as quais podem ser severas. A dependência de drogas também pode ser uma consequência do uso prolongado para aliviar a dor física, embora seja incomum que isso aconteça em pessoas que não possuem história de dependência.

O abuso de drogas é simplesmente o uso excessivo de uma droga ou seu consumo para fins que não sejam médicos.

A dependência psicológica das substâncias narcóticas consiste na necessidade de consumir alguma substância psicoativa para sentir prazer ou para evitar um mal-estar psíquico.

As drogas que causam esse tipo de dependência têm seu efeito a partir da ativação dos circuitos cerebrais envolvidos no prazer, também chamado de circuito de recompensas. Existem diferentes opiniões sobre o nível de vício ou dependência psicológica que cada droga pode produzir em particular.

A dependência física de uma substância implica na necessidade da droga para realizar tarefas. No entanto, esta não é uma condição necessária ou suficiente para definir o vício. Existem algumas substâncias que mesmo quando não causam o vício, causam a chamada dependência física, como é o caso de alguns medicamentos para a pressão arterial, por exemplo. Por outro lado, existem aqueles que causam vício sem a clássica dependência física, por exemplo, a abstinência da cocaína não traz sintomas como vômitos ou calafrios, mas traz sintomas depressivos.

Ao deixar de utilizar uma droga, os consumidores de substâncias psicoativas podem sofrer abstinência, mas também, diante da ausência da droga no corpo, o consumidor pode sofrer dores físicas e um intenso desejo, ambos indicadores de dependência física da substância específica. Em outras palavras, essa dependência é a necessidade fisiológica de uma droga, marcada por desagradáveis sintomas ​​de abstinência ao interromper o consumo.

Por outro lado, também é possível desenvolver dependência psicológica, isso acontece muitas vezes com medicamentos prescritos para depressão e ansiedade. Embora provavelmente não ocorra o vício físico, as drogas se tornam uma parte importante da vida da pessoa, uma maneira de aliviar sentimentos negativos. Em ambas as classes de dependência, o objetivo do consumidor será obter e usar o medicamento.

Como pode surgir o vício?

Os riscos que predispõem as pessoas ao vício são diferentes daqueles que predispõem ao uso ou abuso.

A pressão dos companheiros ou do próprio contexto relacional pode levar ao uso ou abuso, mas pelo menos a metade dos indivíduos que caem no vício sofrem de depressão, transtornos do déficit de atenção, estresse pós-traumático ou outros problemas psicológicos.

É possível que adolescentes que crescem em um ambiente de uso de drogas ilícitas vejam primeiro seus pais usando drogas. Isso pode colocá-los em um maior risco de desenvolver um vício mais tarde, tanto por razões ambientais como genéticas.

Os mais consumidos 

Calmantes: opiáceos e narcóticos. Eles são analgésicos muito poderosos com propriedades sedativas e eufóricas. Entre eles estão: heroína, ópio, codeína, meperidina (Demerol), hidromorfona, Oxicodona e outros.

Estimulantes do sistema nervoso central: anfetaminas, cocaína, dextroanfetamina, metanfetamina e metilfenidato. Os estimulantes mais amplamente utilizados são a cafeína e a nicotina. Estas drogas têm um efeito estimulante e podem produzir tolerância.

Depressores do sistema nervoso central: Barbitúricos (amobarbital, pentobarbital, secobarbital), benzodiazepina (Valium, Ativan, Xanax), cloridrato e paraldeído. Essas substâncias produzem um efeito sedativo calmante, reduzem a ansiedade e podem levar à dependência. Lembre-se de que o álcool também pode produzir esses efeitos.

Alucinógenos: LSD, mescalina, psilocibina e fenciclidina (PCP ou “pó de anjo”). Eles têm propriedades alucinógenas e podem produzir dependência psicológica. Tetraidrocanabinol (THC) é a substância ativa encontrada na cannabis, maconha e haxixe. Embora usadas por causa de suas propriedades relaxantes, as drogas derivadas do THC também podem desencadear paranoia e ansiedade.

O primeiro passo para evitar as desastrosas consequências do consumo e dependência de drogas e de substâncias narcóticas é o conhecimento dos efeitos negativos que isso pode ter na sua própria vida, seja no nível pessoal, social, familiar e de trabalho.

Selecione como você gostaria de compartilhar.

Compartilhar
* O crédito para artigos compartilhados será fornecido somente quando o destinatário do seu artigo compartilhado clicar no URL de referência exclusivo.
Clique aqui para mais informações sobre o Sorteio da Aleteia de uma Peregrinação a Roma

Para participar do Sorteio, você precisa aceitar os Termos a seguir


Ler os Termos e Condições