Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Receba o nosso boletim

Aleteia

Israel reabre parcialmente única passagem de mercadorias para Gaza

JERUSALEM VIEW
Compartilhar

Israel reabrirá parcialmente nesta terça-feira (24) o terminal de Kerem Shalom, único ponto de passagem de mercadorias para a Faixa de Gaza, fechado desde 9 de julho em represália pela utilização de pipas incendiárias por parte dos palestinos.

A abertura da passagem permitirá o reinício do reabastecimento de combustíveis e de gás, indica um comunicado do Ministério israelense da Defesa, concretizando um anúncio que havia sido feito no domingo.

Além de alimentos e de remédios, está autorizada a entrada de combustíveis e de gás no território palestino, segundo a nota.

O Ministério justificou a decisão de reabertura parcial, alegando que o movimento islamita Hamas, que governa a Faixa de Gaza, não cessou totalmente suas “atividades terroristas”.

Submetida por Israel a um bloqueio econômico rígido, a Faixa de Gaza sofre com cortes de energia provocados pela suspensão das entregas de combustível.

Além disso, Israel reduziu a zona marítima acessível a pescadores em Gaza, um território onde 80% de seus dois milhões de habitantes recebem ajuda.

A ONU se mostrou alarmada pelas penúrias causadas pelo bloqueio que afeta hospitais e a rede de fornecimento de água.

A luta contra o bloqueio israelense está no centro das manifestações constantes dos palestinos na fronteira de Gaza com Israel.

“A reabertura total do terminal está condicionada à suspensão total do lançamento de balões incendiários e dos confrontos na fronteira”, insiste a nota do Ministério.

Uma relativa calma reina na região de Gaza, graças ao acordo de cessar-fogo entre Israel e o Hamas divulgado após a escalada de violência que matou quatro palestinos e um soldado israelense na sexta-feira passada.

Embora Israel não tenha confirmado o acordo de trégua, não houve nenhum novo foguete palestino disparado contra Israel desde sexta.

Na semana passada, após importantes confrontos entre Israel e Hamas, o movimento islâmico já havia anunciado um cessar-fogo com a mediação egípcia. Na ocasião, Israel também não confirmou o acordo, embora tenha cessado seus ataques.

Segundo a rádio pública israelense, o silêncio de Israel é explicado pelo desejo do governo de não dar a impressão de que está negociando com o Hamas, considerado uma organização “terrorista”.

Mas uma fonte do Hamas explicou que o cessar-fogo não inclui as pipas e balões incendiários lançados de Gaza para o território israelense, que nas últimas semanas queimaram mais de 2.600 hectares.

Nos últimos dias, o ministro da Defesa de Israel, Avigdor Lieberman, ameaçou deflagrar uma operação importante na Faixa de Gaza, caso o Hamas não pare de lançar seus objetos incendiários.

A situação em Gaza era particularmente tensa desde 30 de março e o início de um movimento palestino para protestar contra o bloqueio israelense do território.

Desde essa data, pelo menos 149 palestinos foram mortos em Gaza pelo Exército israelense.

(AFP)