Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Receba o nosso boletim

Aleteia

Como o cuidado com a aparência física afeta o interior

SELF ESTEEM
Photographee.eu - Shutterstock
Compartilhe este artigo para ter a chance de ganhar uma peregrinação a Roma
Compartilhar
Compartilhei
Compartilhamentos

O cuidado com a aparência física é apenas um detalhe se comparado ao que acontece no interior

Tenho apenas 1,56m de altura, e consegui a proeza de “distribuir” mais de cem quilos neste pequeno espaço. Percebi o estrago depois de feito.

Convivi com a obesidade e carreguei 40 quilos a mais por anos da minha vida. Definitivamente, eles não me pertenciam.

Nesse tempo, eu apenas achava que estava gorda e que a consequência maior disso era o fato de não ter roupas que servissem em mim.

Isso me chateava, porém, eu estar gorda agregava outras informações importantes e ocultas, que vão além da aparência, que têm o poder de sugar a energia de uma pessoa, desfocando sua visão até fazê-la acreditar que sua força de vontade é fraca, que precisa se esconder do mundo em meio às roupas folgadas e, drasticamente, deixar de viver com intensidade a realização dos seus sonhos, o desenvolvimento do seu potencial, a conquista da dignidade e a autoestima elevada, que lhe é devida como ser humano.

Sem contar os problemas de saúde, que chegam um a um, formando uma coleção, desde os mais simples até os mais complexos e perigosos.

a impotancia de cuidar da aparência física

Márcia Ribas. Foto: Arquivo pessoal.

Mudança de vida

A mudança só aconteceu a partir do momento em que tive consciência do que vivia. Consultei uma médica endocrinologista no período mais crítico da obesidade e, por meio dela, conheci a reeducação alimentar, um processo mágico que me levou a emagrecer e manter-me magra, que me fez conhecer um pouco mais sobre o funcionamento do meu organismo e aprender a respeitá-lo, a conhecer-me e, dessa forma, tratar-me com respeito e o cuidado devido.

A vida mudou. Hoje, sou uma pessoa com perspectiva. Enxergo largos horizontes a minha frente, os quais dizem respeito a absolutamente todas as áreas da minha vida. Minha aparência física se transformou. As pessoas se surpreendem com isso, mas sublinham a melhora que tive como pessoa. E realmente esse é o ponto mais forte e importante.

A palavra “aparência” vem do latim apparentia, e significa “surgir, aparecer, mostrar-se”. Ao emagrecer, eu surgi para mim mesma e, realmente, surpreendi-me e continuo a me surpreender diariamente com o que tenho descoberto desde então. O benefício estético foi concreto e amplo, porém, é apenas um detalhe se comparado ao que aconteceu e acontece em meu interior.

Redescobrir-se

Descobri uma força tão grande que, de lá pra cá, nada me parece impossível ou distante. Entendo que se fui corajosa o bastante para cuidar da minha saúde, posso fazer escolhas ainda maiores, as quais me proporcionarão grandes descobertas; afinal de contas, não estou aqui por acaso. Há um propósito, e quanto mais eu lutar por mim e me conhecer, mais claro esse propósito será e mais força terei para realizá-lo.

Com isso, não quero dizer que, enquanto estava obesa, não tinha propósitos. Eu os tinha, porém, estavam voltados para tudo o que era externo, e isso me afastava da minha própria essência. Havia busca por melhora, mas praticamente todas as tentativas foram frustradas, pois buscava algo que não tinha a ver com minha real necessidade. Queria ser como as outras pessoas, ter o corpo como o delas. E isso tudo pela falta de conhecimento sobre mim.

De uma coisa eu tenho certeza: não dá para evitarmos o encontro com nós mesmos, embora isso não seja tarefa fácil. É doloroso reconhecer a própria verdade. Por outro lado, é impossível mudar e crescer acreditando que não dá pra ser diferente e seguir fazendo exatamente as mesmas coisas. É preciso assumir riscos, abrir mão do que é seguro para se superar.

Arrisque-se!

Eu já sofria sendo gorda, doente e totalmente sem esperança. Não sei dizer o que era pior. O que sei é que cuidar da saúde e, consequentemente, da aparência física foi um ótimo começo para a mudança de vida. Como o cuidado com a aparência física afeta o interior!

Arrisque mudar! Tome consciência sobre sua vida. Corresponda aos indícios que sua aparência interior tem apresentado com sutileza. Busque qualidade de vida, você merece isso. Dê atenção às suas expectativas e descubra que elas são muito mais reais e possíveis do que a falsa segurança que você tem na forma que tem vivido até agora.

Mexa-se e dê o devido valor à sua aparência física, porque ela vai muito além daquilo que se vê. Tenha um ótimo trabalho de descoberta e superação!

(via Canção Nova)

Selecione como você gostaria de compartilhar.

Compartilhar
* O crédito para artigos compartilhados será fornecido somente quando o destinatário do seu artigo compartilhado clicar no URL de referência exclusivo.
Clique aqui para mais informações sobre o Sorteio da Aleteia de uma Peregrinação a Roma

Para participar do Sorteio, você precisa aceitar os Termos a seguir


Ler os Termos e Condições