Aleteia
Quinta-feira 01 Outubro |
São Bavão de Gand
Estilo de vida

Você está destinado a um divórcio de ninho vazio?

Eugenio Marongiu / Shutterstock

Luz Ivonne Ream | Jul 27, 2018

As crianças não devem ser a única cola que mantêm o seu casamento unido

A intimidade é definida como uma amizade íntima, a íntima e reservada zona espiritual de uma pessoa ou grupo, especialmente a família.

Quando pergunto aos casais qual é o vínculo mais forte e indestrutível que os mantêm juntos, geralmente recebo a mesma resposta: as crianças. E, claro, isso faz sentido. Mas… se fosse realmente forte e indestrutível, por que ainda existe tanto divórcio?

Portanto, não são as crianças que nos mantêm unidos, mas nossa capacidade de amor e compromisso mútuo, de autodoação e de permanecer uma prioridade um para o outro. As crianças são fruto do nosso amor e uma enorme benção. Mas, infelizmente, para muitos casais, esse amor – o mais puro dos amores – não é suficiente para combater o egoísmo e evitar o divórcio.

Deixe-me explicar. As crianças são o presente mais belo que a vida pode nos dar e, é claro, temos que amá-las incondicionalmente e dedicar nosso tempo, esforço e tudo mais para elas. Mas não podemos descuidar da pessoa que deve ser a nossa principal prioridade, mesmo acima dos nossos filhos: nosso cônjuge.

A intimidade na vida conjugal vai muito além de um mero encontro sexual. Isso significa nos permitir nos conhecer verdadeiramente como somos, desde a alma. Isso significa comunicar nossos espíritos sem medo de ser julgado porque só existe amor entre nós e sentimos que podemos nos abrir completamente. Significa deixar nossos corações dialogarem, muitas vezes sem palavras. A ideia é que nosso relacionamento como marido e mulher seja o mais íntimo de todas as relações humanas.

Então, eu vou te pedir para voltar no tempo, para aqueles anos na escola, na sua aula de matemática quando você aprendeu sobre a adição. Eles pediram que você colocasse dois círculos juntos, ligeiramente sobrepostos. Havia uma interseção, um campo que ambos os círculos tinham em comum, e isso poderia ser tão grande ou tão pequeno quanto sua proximidade permitia. Quanto mais longe, menor é o vínculo. Quanto mais próximo, maior o vínculo.

Mas essa interseção é precisamente onde a nossa vida conjugal é vivida: é tudo o que temos em comum. Se tentamos fazer tudo o que pudermos para nos unir no amor, no respeito, na compaixão, no serviço mútuo, no perdão, na fé, no compartilhamento de alegrias e tristezas, sucessos e fracassos, nosso vínculo será bem nutrido, o que significa que teremos uma sólida e impenetrável cidade murada.

Mas se cada um de nós faz o que fazemos com nossa própria vida, separando-nos de nosso propósito comum, que é tornar-se feliz e ser o caminho para a realização um para o outro, então caímos no egoísmo e nossas prioridades de vida são diferentes ou não coincidem. E todos nós sabemos como isso acaba.

E podemos ver isso na epidemia de divórcios em casamentos de ninhos vazios. Estes são casais que perderam o caminho, que se esqueceram disso antes de se tornarem pais, eles eram um casal. Eles se tornaram pais e então se esqueceram de ser esposos, amigos, enamorados, confidentes, parceiros, companheiros na jornada.

Os anos passam, e pouco a pouco eles têm cada vez menos coisas em comum, porque eles pararam de alimentar seus laços como um casal. As crianças, o único vínculo que os mantêm juntos, não estão mais em casa. Agora eles são dois estranhos perfeitos – emocionalmente falando – vivendo sob o mesmo teto, comendo na mesma mesa e dormindo na mesma cama. E, é claro, uma vez que esse sentimento de “duas solidões juntas” não é agradável, eles se separam. Ou pior ainda, eles se divorciam, acreditando que essa é a solução.

Eu insisto, para que nossa intimidade cresça, e para que nosso vínculo se torne cada vez mais forte, precisamos alimentá-lo todos os dias através de detalhes, compartilhando atividades e gostos, falando palavras de afirmação, e assim por diante. Acredite, é muito mais simples do que parece. Aqui estão alguns pontos a considerar:

  • Para nutrir nosso vínculo conjugal, pense mais sobre seu cônjuge e menos sobre seus próprios gostos e preferências.
  • Conheça suas necessidades emocionais e o que você pode fazer para se encontrar mutuamente.
  • Conheça as áreas de intimidade que existem e trabalhe para nutrir cada uma delas. Eu vou compartilhar alguns que o Dr. Chapman menciona em seu livro Covenant Marriage: Building Communication & Intimacy:
    • A intimidade intelectual: compartilhar pensamentos, experiências, desejos ou ideias que o estimulam. Por exemplo, compartilhar um bom livro que acabei de ler e aquele filme fabuloso que me impressionou.
    • A intimidade emocional: isso significa compartilhar nós mesmos, nossos sentimentos e emoções. É quando nos abrimos e participamos do que sentimos e convidamos o outro a fazer o mesmo.
    • A intimidade espiritual: é o que um indivíduo pode compartilhar sobre seu relacionamento com Deus e como isso nos convida a refletir sobre o significado da vida. Por exemplo, compartilhar e refletir sobre as leituras da missa dominical.

É importante cuidar da nossa intimidade como um casal, porque será o veículo que alimenta nosso vínculo. Se estiver bem alimentado, nada será capaz de destruí-lo, não importa quão forte a tempestade, ou quantas crises atingirem nossa casa. E também se torna tão forte que nenhum terceiro poderá entrar. Lembremos que uma terceira pessoa só pode entrar quando há espaço suficiente entre os dois.

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
CasamentoFilhosRelacionamento
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Aleteia Brasil
Com afastamento do pe. Robson, o Santuário de...
A12
3 armas fortes de São Miguel Arcanjo
Gelsomino Del Guercio
A misteriosa linha reta que une 7 santuários ...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
Silvia Lucchetti
Gestante com câncer recusa aborto: ela e o be...
SAINT MICHAEL
Arcanjo Miguel
15 de agosto: começa a Quaresma de São Miguel...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia