Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Por que eu pulei uma popular tradição no meu casamento

BRIDE,GROOM,WEDDING
Shutterstock
Compartilhar

Eu não quebrei nenhuma regra – e isso fez com que minha cerimônia sacramental significasse muito mais

Se você está planejando seu casamento, ou esteve recentemente em um casamento católico, perceberá que os casamentos católicos são diferentes. Nós não nos casamos no topo de uma montanha. Você não encontrará núpcias católicas na praia. E nós não caminhamos pelo corredor com uma música country. Casamentos dentro de uma missa podem durar mais de uma hora, e os votos que dizemos já estão escritos para nós – e isso é apenas para citar algumas coisas.

Mas o que você também pode não saber (e eu não sabia disso quando meu marido e eu estávamos planejando nosso casamento há um ano), é que a Igreja Católica revisou o rito oficial do casamento não muito tempo atrás. Essas revisões mudaram a maneira como planejamos nosso casamento. Assim, eu e meu marido pudemos nos sentar com um padre e repassar as mudanças na liturgia.

Planejar seu casamento é um processo maravilhoso e, quando você chega à missa do casamento, descobre que pode fazer muitas escolhas quando se trata da liturgia, desde a entrada até a saída. Uma parte de nosso casamento que Joseph e eu passamos muito tempo pensando era como chegaríamos ao altar durante a procissão de entrada.

A maioria das pessoas pensa nesta parte do casamento de uma maneira tradicional: a noiva é escoltada por seu pai até o altar onde ela encontra seu noivo. Mas fiquei surpresa ao ver que o Rito Católico de Casamento nem sequer mencionou essa forma. Em vez disso, recomenda que o casal caminhe até o altar juntos no início da cerimônia.

Quando eu descobri isso, fiquei animada. Eu nunca tinha ouvido falar dessa tradição, mas adorei o quanto mudou o foco para a decisão do casal. Durante as missas católicas, os ministros do sacramento prosseguem até a igreja por último. No casamento, uma noiva e um noivo se casam – o padre e os presentes são testemunhas da nova união.

Uma coisa que eu adorava andar pelo corredor com Joseph era que nossos convidados olhavam para nós dois. Fiquei aliviada que todos os olhos não estavam focados em mim. Afinal, o dia do casamento não é apenas da noiva (mesmo que a nossa cultura nos diga isso em todas as páginas de revistas de noivas). Eu não queria que o foco fosse em mim, ou em como eu estava ou o vestido que eu estava usando. Em vez disso, eu queria que o foco estivesse no fato de que Joseph e eu, duas pessoas únicas, estávamos tomando a decisão juntos para nos tornar um.

A noiva e o noivo não são apenas o foco do dia porque é o casamento deles, mas porque eles são os ministros do sacramento. Eles não são o centro das atenções de uma maneira orgulhosa, mas, ao invés disso, caminhar juntos chama a atenção para a realidade de Deus e Seu dom dos sacramentos.

Mesmo que não houvesse um precedente para essa tradição em nenhuma de nossas famílias, tanto Joseph como eu amamos a ideia de que ninguém “entregava ninguém”. Entramos em nosso casamento como iguais, dando passos juntos.

Porque nós não seguimos a tradição de pedir ao meu pai para me levar até o altar, nós ainda queríamos honrar meu pai e o incrível trabalho que ele fez me ensinando que eu sou digna de amor autêntico. Então, pedimos a ele para fazer um brinde na nossa recepção de casamento. Durante seu brinde, ele convidou minha mãe para reconhecer como o casamento deles me deu um exemplo de como era para um marido e uma esposa estarem em um time.

Durante meus últimos minutos como uma mulher solteira, meu estômago embrulhava. Mas meus nervos se acalmaram assim que vi Joseph esperando por mim para entrarmos juntos. Eu não podia esperar para caminhar ao lado dele como seu igual em nossa vida conjugal!

 

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.