Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quarta-feira 28 Julho |
São Botvido
home iconEm foco
line break icon

Meninos e brincadeiras com armas: o que fazer?

BOY GUN

Makalex69 I Shutterstock

Canção Nova - publicado em 02/08/18

Será que essas brincadeiras estimulam mesmo a violência?

Espadas, acessórios de pirata e espadas a laser são apenas incentivadores de violência ou também podem realizar o propósito de educar de alguma forma?

Alguns santos da Igreja Católica como São Jorge e São Miguel Arcanjo trazem uma espada nas mãos, que foram usadas para combater o mal. Esse é um assunto bem complexo, pois alguns pais e educadores acreditam que o uso de espadas em brincadeiras podem estimular a violência. Enquanto outros pensam que brincar com espadas pode ajudar as crianças a conhecer o mundo, aliviar as tensões e vencer os medos.

Será que o fato de usar uma espada de plástico vai tornar a criança violenta?

Crianças acabam imitando personagens bíblicos, super-heróis, sejam eles bons ou ruins. E qual o limite para tal preocupação? Ensinar as crianças a combater o mal como combateram grandes homens e mulheres de Deus em favor do bem. É essencial mostrar-lhes que espadas e flechas são símbolos que foram usados para derrotar o mal.

Assim também o mal do pecado, da maldade, da violência devem ser destruídos da nossa vida com a espada (arma) mais poderosa que é o amor.

O mais importante além do objeto utilizado nas brincadeiras, são os valores que cercam a criança na hora de brincar, porque também uma bola e um carrinho podem gerar atos de violência.

Ensine valores para as crianças

Valores de respeito, de amizade, de proteção ao outro, companheirismo e de combate ao mal precisam ser ensinados às crianças.

Agora veja, para os meninos, principalmente, essa busca por brincadeiras de guerra, polícia e ladrão, a luta do bem contra o mal, estimula a masculinidade e o espírito de aventura e responsabilidade que o menino, futuramente como pai de família, terá sobre uma família por exemplo.

Uma mãe nos contou que seu filho pequeno, de 4 anos mais ou menos, pegou uma espada e disse que ia matar o Golias. A mãe entrou em pânico: “Meu Deus, meu filho está aprendendo a matar!”. Mas essa mãe, e o pai também, contavam ao menino as histórias bíblicas todas as noites, e uma das histórias era a de Davi e Golias. Então, o que o menino queria fazer era errado? Não! Ele queria matar o Golias, pois aprendeu que o Golias era mau.

É aí que entra a educação. Esses meninos que aprendem a lutar e enfrentar o mal com coragem (e até com armas de brinquedo), favorece o crescimento em nossa sociedade de meninos que gostem de ser meninos, que cresçam assumindo sua identidade masculina com a alegria e entusiasmo da infância.

Diálogo

O papel do educador – seja pai, mãe ou outro responsável –, é manter essa visão de que a luta é para vencer o mal, tanto o Golias, na história bíblica, como os males do pecado, da inveja, do roubo e outros assim, que rondam nossa vida real.

Explicar a diferença entre uma luta para vencer esses males e um ato de violência é que vai fazer este menino crescer seguro dos seus atos, e sabendo o papel das brincadeiras e a diferença delas, com as violências reais, que não devemos fazer para os outros ao nosso redor.

O padre Paulo Ricardo fala sobre isso neste vídeo:

Nas brincadeiras infantis, o limite é não machucar, não desrespeitar, não ferir e sempre buscar a vitória do bem sobre o mal.

Com base no pedido de muitos pais, estamos criando livros com conteúdo que ajudem os meninos (principalmente) a viver com naturalidade essas aventuras e lutas na infância. Esperamos que ajude. Deus nos abençoe!

Por Tatiana Ferreira, via Canção Nova 

Tags:
Educação dos FilhosFilhos
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Reportagem local
A arrepiante oração de uma mulher no corredor da morte por ser ca...
2
st charbel
Reportagem local
Por acaso não está acontecendo o que São Charbel disse?
3
Ítalo Ferreira
Reportagem local
Ouro no surfe em Tóquio, Ítalo Ferreira reza todos os dias às 3h ...
4
CROSS;
Reportagem local
O que significa o sinal da cruz feito sobre a testa, os lábios e ...
5
CONFESSION, PRIEST, WOMAN
Julio De la Vega Hazas
Por que não posso me confessar diretamente com Deus?
6
JENNIFER CHRISTIE
Jeff Christie
Minha mulher engravidou de um estuprador – e eu acolhi o bebê nas...
7
Anna Gębalska-Berekets
O que falar (e o que não falar) a um ente querido com câncer
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia