Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Não te detenhas

MAN HIKING
By everst | Shutterstock
Compartilhar

Não deixes o final do dia sem teres crescido um pouco, sem seres feliz, sem teres aumentado os teus sonhos

Não deixes o final do dia sem teres crescido um pouco,
sem seres feliz, sem teres aumentado os teus sonhos.

Não te deixes vencer pelo desânimo,
não deixes ninguém tirar o direito de te expressares,
que é quase uma obrigação.

Não abandones o desejo de tornar a tua vida extraordinária,
não pares de acreditar nas palavras e na poesia,
elas podem mudar o mundo.

Não importa o que na nossa essência está intacta,
estamos cheios de seres de paixão,
e a vida é deserto e oásis,
nos derruba, nos fere,
nos ensina
ela nos faz protagonistas,
da nossa própria história.

Embora o vento sopre contra,
o trabalho potente continua,
tu podes fazer uma estrofe,
nunca pares de sonhar,
porque os sonhos são do homem livre.

Não caias num dos piores erros, o silêncio,
a maioria vive num silêncio terrível.
Não renuncies!

Ouve!

“Eu a emitir os meus uivos através do telhado do mundo”
diz o poeta.

Aprecia a beleza das coisas simples,
tu podes fazer bela poesia sobre as pequenas coisas!

Não podemos remar contra nós mesmos,
quem transforma a vida no inferno,
aproveita o pânico que provoca em ti,
tens a vida pela frente,
vive-la intensamente,
sem mediocridade.

Tu achas que és o futuro,
enfrenta a tarefa com orgulho e sem medo,
aprende com aqueles que podem ensinar-te,
as experiências daqueles que nos precederam
nossos “poetas mortos”.
Ajudando-te a caminhar pela vida
a sociedade de hoje, nós que somos os “poetas vivos”.
Não deixes a vida passar por ti sem a vida!

 

(Walt Whitman, via Provocações Filosóficas)