Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Terça-feira 02 Março |
Santa Inês de Boêmia
home iconEm foco
line break icon

Eucaristia: sacrifício (II)

PIEŚNI NA ŚLUBIE

Josh Applegate/Unsplash | CC0

Padre Bruno Roberto Rossi - publicado em 08/08/18

A Missa renova e repete a última ceia de Cristo

Neste artigo, que tem ligação muito íntima com o anterior, continuo a tratar da Eucaristia como sacrifício à luz do teólogo beneditino Dom Estêvão Bettencourt, no seu Curso sobre os sacramentos, p. 95-96, e na revista Pergunte e Responderemos n. 6, junho/1958, p. 226-229.

“Não seria plausível replicar que Jesus apresentava ‘seu corpo e seu sangue imolados’, na quinta-feira santa, como símbolos vazios de conteúdo e meramente figurativos daquilo que devia acontecer na sexta-feira santa. Não, as palavras do Senhor são simples e claras; Jesus não teria empregado termos ambíguos e metafóricos em circunstâncias tão solenes, acarretando insolúvel confusão na mente dos discípulos. Por conseguinte, podemos repeti-lo, sobre a mesa (que se transformava em altar) Jesus se colocava em estado de Vítima, realizando uma ação sacrifical. Quem ainda concebesse dúvidas sobre o sentido do texto evangélico, poderia resolvê-las considerando a praxe e o ensinamento das gerações cristãs, que, desde os inícios da Igreja, tomaram as palavras de Cristo no seu significado próprio e natural.”

“Leve-se agora em conta que Cristo mandou aos Apóstolos reiterarem o rito da última ceia, última ceia à qual Jesus atribuía o significado acima exposto; cf. Lc 22,19; 1Cor 11,24. Desta ordem concluíram os Apóstolos e as gerações subsequentes que, todas as vezes que renovavam a ceia do Senhor (também chamada Eucaristia), realizavam a oblação de uma Vítima (Cristo) ou de um sacrifício. Este, porém, não podia (nem pode) ser a repetição do sacrifício da Cruz, pois Jesus se imolou uma vez por todas, conforme a epístola aos Hebreus. A ceia, por conseguinte, não poderá ser senão o ato de ‘tornar presente’ (sem multiplicar) através dos tempos, e de maneira incruenta, o único sacrifício do Calvário oferecido cruentamente há vinte séculos. Concluir-se-á, portanto: a) na quinta-feira santa Jesus, perante os discípulos, tornou presente de modo real, mas incruento, o sacrifício que Ele no dia seguinte devia realizar cruentamente na Cruz; tornou-o antecipadamente presente; b) atualmente, em cada S. Missa Jesus torna presente de modo real, mas incruento, esse mesmo e único sacrifício que Ele já realizou cruentamente na cruz.”

“Justamente este ‘tornar presente’ a todos os tempos, sem implicar repetição nem multiplicação, constitui o ‘mistério da fé’, título dado por excelência à S. Eucaristia. Brevemente, o Concílio de Trento (1545-1563) define as relações do rito eucarístico com o sacrifício da cruz nos seguintes termos: “Há (em ambos) uma só e mesma Hóstia, um mesmo Sacerdote que se oferece agora pelo ministério dos presbíteros depois de se ter oferecido Ele mesmo outrora sobre a cruz; apenas a maneira de oferecer é diferente” (Sessão 22, c. 2).”

“Em consequência, vê-se que imprópria é a expressão: ‘A Missa renova o sacrifício da Cruz’. Prefira-se- a seguinte terminologia: A Missa torna presente sobre os altares, (sem o multiplicar) o único sacrifício da Cruz. A Missa, porém, renova e repete a última ceia de Cristo.”

“Quanto ao ministério dos presbíteros, de que o Senhor agora se serve para oferecer o seu sacrifício, não implica multiplicação do sacerdócio. Cristo fica sendo o único Sacerdote, que santifica os fiéis por meio dos presbíteros, seus instrumentos; nenhum destes se coloca ao lado de Cristo; ao contrário, é mediante especial incorporação a Cristo que cada presbítero se torna participante das atribuições do único Sacerdote.”

“A razão pela qual o Senhor instituiu o rito da Missa é que Ele queria que seus membros se unissem à Cabeça (participando das qualidades de Cristo, Sacerdote e Hóstia), na oblação do sacrifício de nossa Redenção.”

Assim, concluo a exposição do monge teólogo sobre a Eucaristia como sacrifício que, hoje, sacerdote e leigos, oferecemos – cada um a seu modo – ao Pai.


HOLY COMMUNION

Leia também:
Eucaristia: sacrifício (I)

Tags:
EucaristiaMissaSacramentos
Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
KOMUNIA NA RĘKĘ
Claudio de Castro
Padre chora copiosamente diante da falta de respeito com a Eucari...
2
missionárias mártires iêmen
Reportagem local
A corajosa última oração destas 4 freiras antes de serem mortas p...
3
PRAYER
Desde la Fe
Coisas que você não deve fazer na Missa e talvez não saiba
4
HOLY FAMILY
Philip Kosloski
A antiga oração a São José que é “conhecida por nunca ter falhado...
5
RECONSTRUCTED CHRIST
Lucandrea Massaro
Assim era Jesus: o misterioso Homem do Sudário, reconstruído em 3...
6
Kathleen N. Hattrup
O homem que beijou a testa do Papa diz que se curou em Lourdes
7
PRAY YOUNG
Arquidiocese de São Paulo
Rezar o terço sem contemplar os mistérios é válido?
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia