Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quarta-feira 20 Outubro |
Aleteia logo
home iconAtualidade
line break icon

Tefé, uma cidade no coração da Amazônia

AMAZONIA

Shutterstock-Bildagentur Zoonar GmbH

Agências de Notícias - publicado em 16/08/18 - atualizado em 16/08/18

Uma cidade de pouco mais de 60.000 habitantes onde o transporte público é aquático, a comunicação com o mundo exterior é precária e por terra não há como se chegar. Essa é Tefé, no coração da Amazônia brasileira.

Cerca de 500 km a oeste de Manaus, capital do Amazonas, Tefé é o último posto urbano para os cientistas que trabalham na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá.

Para se percorrer essa distância há duas opções: um voo de 50 minutos saindo de Manaus até o pequeno aeroporto de Tefé ou uma travessia fluvial que dura entre dois e três dias. Antenas de televisão, móveis, frutas e todo o tipo de mercadoria são transportados pelas águas do Solimões.

“Carro não é uma boa ideia por aqui não. Para cruzar a cidade, só pelas águas do rio”, explica João, de 65 anos, piloto de uma das dezenas de “voadeiras”, pequenos barcos a motor, semelhantes a lanchas, em um dos portos improvisados da cidade. Em cada uma cabe entre seis e oito pessoas, que embarcam e desembarcam com cuidado, para evitar que a embarcação vire.

Dentro da cidade, a viagem costuma sair por R$ 1,00. Sair de Tefé é outra história. “Por isso todos têm seu próprio barquinho. Nem que seja com motor improvisado”, explica João, de guarda-chuva na mão para se proteger do sol, enquanto aguarda clientes na sua voadeira de madeira, motor tirado de uma antiga moto, onde cabem cinco pessoas.

O barulho destas pequenas lanchas domina a cidade e se mistura aos vendedores ambulantes oferecendo filmes, séries em DVD e produtos amazônicos como o açaí. A matriz energética da cidade é o óleo diesel, trazido de Manaus, que é caro e poluente. A internet chega via satélite.

O Instituto Mamirauá é um exemplo de como a infraestrutura da cidade limita seu desenvolvimento. Uma conexão de seis megabytes é dividida entre seus 300 colaboradores espalhados entre a sede em Tefé e os pontos avançados de pesquisa, as casas flutuantes, distribuídos nos 1.124.000 hectares de área da reserva.

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • Aleteia é publicada diariamente em sete idiomas: inglês, francês,  italiano, espanhol, português, polonês e esloveno
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Top 10
1
VENEZUELA
Ramón Antonio Pérez
Quando a vida surge do abuso atroz a uma jovem deficiente
2
Pe. Zezinho
Reportagem local
Pe. Zezinho faz alerta sobre orações de cura e libertação
3
AVENIDO BROTHERS
Agnès Pinard Legry
Três irmãos são ordenados padres no mesmo dia
4
COMMUNION
Philip Kosloski
Oração ao seu anjo da guarda antes de receber a comunhão
5
MARRIAGE
Matrimonio cristiano
Beijar a aliança todos os dias: uma indulgência especial aos casa...
6
Aleteia Brasil
O segredo da cidade bósnia onde jamais houve um divórcio
7
Carlo Acutis
Gelsomino Del Guercio
“Ele fechou os olhos sorrindo”: foi assim que Carlo Acutis morreu
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia