Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Você sente pavor só de pensar no trabalho? Talvez você esteja se esquecendo de uma coisa

MAN SAD
Nong Mars - Shutterstock
Compartilhar

Nossa vida será mais feliz e mais significante se tivermos objetivos claros

Se há tempos você não encontra significado em seu trabalho… Se sua carreira parece ter atingido seu pico… Se sair com colegas de trabalho e passar tempo com eles é totalmente desagradável para você… Se simplesmente pensar na próxima reunião de trabalho te atormenta … Alguma coisa dentro de você começou a morrer.

Não deixe para pensar nisso depois, porque o tempo – por si só – não conserta as coisas. Se quisermos mudar o curso de nossas vidas, precisamos agir. Encontre um propósito em sua vida, estabeleça um objetivo e você começará a ver as coisas de maneira diferente.

Esse é o conselho de Mário Sérgio Cortella, filósofo, escritor, palestrante, doutor em educação e professor na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Com base em sua longa carreira profissional, ele acredita que é essencial na vida saber por que fazemos o que fazemos. Seguindo os passos de Aristóteles, Cortella sugere que o autoconhecimento nos ajuda a entender nossos dias e toda a nossa vida. Ele serve como um ponto de partida e nos dá a capacidade de realizarmos as tarefas sem nos sacrificarmos.

A primeira grande mensagem que Cortella oferece é que precisamos saber como dar um propósito à nossa vida, um objetivo concreto. Por exemplo, por que eu me levanto de manhã? Quem ou o quê me motiva a me levantar, sair e procurar trabalho quando estou desempregado (mesmo depois que as portas se fecharam para mim)?

Embora o autor foque na área profissional, seu conselho pode ser útil a outras áreas também. Cortella lembra que a palavra “propósito” vem do latim e carrega o seguinte significado: “aquilo que eu coloco adiante”. 

O autor descobriu que muitas pessoas não estão mais satisfeitas com um mero salário ou renda, por exemplo. “Há uma busca para ser reconhecido e valorizado pelo que se faz. Eu não quero que meu esforço seja inútil ou desperdiçado. E eu também não quero ser mal entendido, pois sou uma pessoa que tem boas intenções. As pessoas costumam dizer: ‘Eu preciso saber o propósito e qual é o objetivo do que estou fazendo’”, diz Cortella, que enfatiza que a grande maioria das pessoas hoje não está mais disposta a viver como se fosse cega para as coisas que são prejudiciais à sociedade ou a trabalhar simplesmente como “tolos meramente úteis, mas ignorantes”.

Os benefícios da rotina 

O professor brasileiro desafia algumas crenças, como pensar que tarefas rotineiras são sempre tediosas. “Desenvolver uma rotina significa organizar uma série de procedimentos padronizados, através dos quais um processo é realizado.” Em vez de focar nos aspectos negativos da repetição, Cortella ressalta que isso é realmente benéfico para nossas vidas: “Essa repetição é o que torna a rotina mais eficiente e aumenta a sua eficácia. Uma orquestra sinfônica tocará melhor quanto mais cuidadosamente for lida a partitura”.

A rotina deixa o trabalho organizado e estruturado. É perigoso não prestar atenção aos seus benefícios e, por outro lado, é igualmente perigoso fazermos tudo simplesmente como “autômatos”. Mas, quando a rotina tem um objetivo, torna-se uma jóia de ferramenta para motivar ainda mais nosso trabalho e nossa vida.

Encontrar um incentivo 

Como me manter motivado no trabalho? Como ajudar meus colegas de trabalho ou meus funcionários a se sentirem motivados? Cortella afirma que deve haver um estímulo, um incentivo. Os estímulos externos podem ser bastante variados, segundo o professor: “Pode assumir a forma de uma recompensa, como o retorno econômico, ou advém do reconhecimento de sua autoria ou da qualidade de seu trabalho como profissional e de sua contribuição para o todo.”

“Fazer o bem nos torna bons”

Além disso, Cortella vê uma contribuição importante para a sociedade em pessoas que agem com propósito: “Fazer o bem é bom para nós”, diz ele, “porque o lugar onde escolho fazer o bem proporciona  impacto positivo na comunidade, e não é só um lugar onde a pessoa simplesmente ganha dinheiro”. Para ele, fazer o bem no ambiente de trabalho “cria uma dinâmica na qual é possível conciliar lucro e boas ações”.

O propósito que atribuo a cada momento da minha vida é muito importante, porque ele vai se tornar a plataforma de lançamento que me levará a trabalhar e viver para minha família, para mim e para uma sociedade melhor. Ou, nas palavras do Rei Davi para Aquele que foi a força motriz da sua vida: “Ó Deus, tu és o meu Deus, eu te busco, a minha alma tem sede de ti… Levanto-me antes do amanhecer e clamo por ajuda; Eu espero pelas tuas palavras.”