Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia
María Álvarez de las Asturias
Como ajudar um casal que se separou?
Padre Reginaldo Manzotti
Oração para pedir luz ao Senhor
Padre Reginaldo Manzotti
5 lições de vida para ser feliz
Prosa e Poesia
Os recomeços
Vatican News / Redação da Aleteia
Papa aos juízes: não buscar interesse pessoal

Procurador: “Há evidências de que aborto cresce com descriminalização”

José Paulo Leão Veloso Silva
STF/Secretaria de Comunicação
Compartilhar

José Paulo Veloso representou Sergipe na audiência pública do STF sobre aborto no Brasil

Na audiência pública sobre o aborto que o Supremo Tribunal Federal (STF) realizou no início de agosto, o doutor José Paulo Leão Veloso Silva foi uma exceção: ele foi o único expositor que falou como representante de uma das 27 unidades federativas do Brasil.

Procurador do estado de Sergipe, Veloso Silva falou sobre a distinção entre descriminalização e legalização, a legislação brasileira sobre o exercício da medicina, os altos índices de aborto de crianças mais vulneráveis em países que legalizaram a prática e o problema do ativismo judicial.

Em carta à ministra Rosa Weber requerendo que o estado fosse representado na audiência, o governador de Sergipe, Belivaldo Chagas Silva (PSD), se disse “receoso” em ver-se “compelido a direcionar recursos públicos escassos para eliminar vidas humanas” e explicou que em Sergipe “a defesa da vida desde a concepção é uma política de Estado, não apenas de governo”.

Veloso Silva concedeu entrevista ao portal pró-vida Sempre Família, aprofundando os argumentos expostos na audiência.

Alguns destaques da entrevista:

Único estado presente – “É obrigação de qualquer estado defender a vida. Lamento profundamente que o estado de Sergipe tenha sido o único a ter partido para essa empreitada. Além disso, essa defesa da vida está prevista aqui em Sergipe por meio de lei estadual“.

Ativismo judicial e ministerial – Há um ativismo judicial que invade a competência dos poderes legislativo e executivo, mas há também um “ativismo ministerial“: segundo Veloso Silva, “o Ministério Público frequentemente tenta impor ao Poder Executivo determinadas decisões que estão na esfera decisória do Executivo“.

Descriminalização – “Descriminalizar significa que não puno criminalmente. Puno de outras formas“. “Não vejo nenhuma possibilidade de que se faça um combate efetivo ao aborto hoje em dia com a descriminalização“.

Aborto aumenta após descriminalização – “O número de abortos sempre aumenta com a descriminalização ou a legalização e os números oficiais comprovam isso“.

Ciência versus ideologia – “Não acredito que no estágio atual da ciência se possa negar que o feto ou embrião é um ser da espécie humana e é um ser vivo. Então, o problema não é a falta de consenso sobre o que aquela criança é. O problema é de cunho eminentemente ideológico“.

Estado e família – “Não acredito num Estado verdadeiramente forte com famílias fragilizadas – a não ser que se trate de um Estado totalitário“.

Aborto e medicina – “Quando alguém ingressa numa faculdade de medicina, o seu objetivo é salvar vidas. Essa é a única função do médico“.

A entrevista na íntegra

Você pode ler a entrevista completa (e vale muito a pena) no portal Sempre Família, acessando-o por AQUI.

Audiência pública

Confira também a exposição do Dr. José Paulo Leão Veloso Silva na Audiência Pública realizada pelo STF sobre o aborto no Brasil:

Aleteia Top 10
  1. Lidos