Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Receba o nosso boletim

Aleteia

Lara Pausini conta como enfrentou a luta para conseguir engravidar

Andrea Raffin
Compartilhar

Para a cantora italiana, tornar-se mãe foi um milagre

“Convivi tantos anos com mulheres que, como eu, estavam tentando engravidar e não conseguiam que, se devo rezar por algo, é para que elas tenham filhos. Tenho muitas amigas que querem ter filhos e não têm. Eu conheço este milagre”.

Para Laura Pausini foi tão difícil conseguir engravidar que, embora hoje a cantora italiana desfrute dos prazeres da maternidade, ela se identifica muito com as mulheres que estão lutando por este sonho, algo que ela conseguiu depois de cinco anos de muitas tentativas e desilusões.

Em vários programas de TV, Laura Pausini compartilhou sua experiência, à qual se referiu como o momento mais difícil da vida dela. Sim, ela viveu sentimentos turbulentos, profundos e solitários.  

Confusão e culpa 

 “Por que comigo? Este sempre foi o meu sonho”, dizia a cantora, que revelou nunca ter desejado a fama. O maior sonho dela, desde pequena, era ser mãe.

Para ela, era difícil aceitar o sucesso que ela nunca tinha buscado. Quase sempre, ela se culpava por não poder ser mãe. Um filho era o que o coração dela sempre pedia. Isso a levou a perguntar a Deus por que ela não recebia aquilo que, de fato, desejava. A cantora não conseguia entender o momento pelo qual passava. 

Impotência e ansiedade 

“Você não consegue pensar em outra coisa. As pessoas te dizem para não pensar e não se preocupar com isso. Mas é impossível. Claro que tenho que pensar! É meu argumento”.

Deixar de pensar não oferece nenhuma solução. O que é preciso é lembrar que sempre há um propósito nos momentos de espera. E foi isso que inspirou a cantora a compor a canção “Así celeste”, que narra a experiência de espera vivida pela cantora. A música é dedicada a todas as mulheres que passam pela mesma situação. 

Frustração e medo 

Laura conta que, quando começou a considerar a adoção, ela também começou a questionar se ela era realmente capaz de ser mãe, já que não conseguia engravidar.

“Eu adorava crianças mas quando chegou o momento de falar sobre isso tive medo. Serei mesmo capaz de criar uma criança? Sentia-me tão frustrada e com tanto medo…”

Quando ela superou a frustração e decidiu adotar, veio a  gravidez tão sonhada. 

Desespero e solidão 

“Depois de tentar por tanto tempo, um dia eu disse: ‘não vou ser mãe. Chega. Perdi a ilusão’”. Mas ela conseguiu. E nos primeiros dois meses de gestação, a artista não contou nada para ninguém. Foi um momento solitário…

Porém, de todos esses sentimentos, há uma verdade que sempre se aprende: formar uma família em um mundo tão turbulento é um ato de fé, uma decisão de buscar amor em uma realidade que pode ser muito difícil. 

Na medida em que perseveramos no amor, sempre continuamos crescendo. Não podemos escolher o dia ou a hora de vermos os frutos. Simplesmente acontece. No momento menos esperado para Laura, “transformar-se na mãe de Paola foi uma verdadeira benção”. 

A filha de Laura Pausini, batizada de Paola nasceu em 2013, quando a cantora estava com com 38 anos.