Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Receba o nosso boletim

Aleteia

Vaticano anuncia novas medidas para impedir abusos sexuais contra menores

STOP
271 EAK MOTO - Shutterstock
Compartilhar

Um dos próximos projetos será no Brasil. Comissão também avalia resultados de iniciativas que já estão em andamento há mais tempo.

A Pontifícia Comissão para a Tutela de Menores reúne especialistas no atendimento a vítimas de abusos cometidos por clérigos e tem o objetivo de combater essa prática hedionda em todo o mundo. Após a sua recente assembleia plenária, realizada em Roma entre 7 e 9 de setembro, o grupo anunciou novas medidas e projetos de prevenção contra abusos sexuais. O primeiro projeto-piloto se realizará no Brasil.

Segundo comunicado divulgado neste domingo, esses projetos visam estabelecer ambientes seguros em que os abusos sejam impedidos, além de processos transparentes no atendimento às pessoas que já sofreram abusos por parte de pessoas do clero.

Entre as iniciativas relacionadas à formação e capacitação de pessoas da Igreja no tocante à prevenção de abusos, a comissão patrocinará em abril de 2019 uma conferência destinada aos responsáveis pela Igreja na Europa Central e Oriental. No mesmo mês, em Aparecida, no Brasil, a comissão organizará uma semana de formação em parceria com a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Em novembro, a comissão encontrará no México o Conselho Episcopal Latino-Americano e, em 2020, apoiará em Bogotá, na Colômbia, o Congresso sobre Proteção dos Menores para agentes da Igreja e da sociedade civil.

Já o grupo de trabalho “Direcionamentos e Normas para a Tutela” relatou os seus avanços no “desenvolvimento da escuta para apoiar as Conferências Episcopais locais em relação às políticas de proteção”.

Em entrevista concedida ao Vatican News, o presidente da Pontifícia Comissão para a Tutela de Menores, cardeal Sean Patrick O’Malley, destacou:

“Os eventos recentes na Igreja direcionaram as nossas atenções à necessidade urgente de uma resposta clara da Igreja sobre os abusos sexuais contra menores. Uma das responsabilidades da própria comissão é ouvir as vítimas, cujos testemunhos dão forma às nossas deliberações e juízos”.

Sobre os trabalhos já realizados na prevenção de abusos, o cardeal informou:

“A Comissão foi incansável ao levar a mensagem da tutela ao mundo. [Desde a última reunião] os membros participaram das mais de 100 conferências no mundo inteiro. Também estamos trabalhando com diligência nas diretrizes e melhores práticas. Uma das nossas últimas iniciativas é desenvolver subsídios para as Conferências Episcopais medirem a implementação e o respeito das diretrizes. Assim, quando os bispos vierem a Roma em suas visitas ad Limina, poderão demonstrar como estão colocando em prática as linhas-mestras desenvolvidas pela Conferência Episcopal por ordem da Santa Sé e do próprio Santo Padre”.

Quanto ao futuro, O’Malley anunciou a criação de comitês consultivos para as vítimas de abusos em vários continentes:

“O primeiro será no Brasil, mas iniciamos o processo também na África e na Ásia”.

Além disso, ele comentou outras iniciativas já em andamento, como “programas de educação e formação para os expoentes da Igreja, de modo que os nossos bispos, sacerdotes e religiosos sejam conscientes da gravidade da questão” e contem com meios para responder “de modo que a tutela dos menores e o cuidado pastoral sejam prioridade”.