Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Newsletter Aleteia: uma seleção de conteúdos para uma vida plena e com valor. Cadastre-se e receba nosso boletim direto em seu email.
Registrar

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

4 dados indicam que o mundo está cada vez mais religioso

POPE FRANCIS,BABY
Ho | Osservatore Romano | AFP
Compartilhar

Estatísticas: ao contrário do que tentam fazer crer, a religião está em alta no mundo inteiro

Você provavelmente já ouviu dizerem que a religião é um “fenômeno em declínio” ou, no mínimo, que ela “saiu de moda“.

Não é isto, porém, o que as estatísticas demonstram.

Reportagem do jornal britânico The Guardian analisou dados do instituto de pesquisas Pew Research Center e concluiu: o mundo está se tornando cada vez mais religioso.

Confira 4 pontos que embasam essa constatação:

1 – A proporção entre adeptos e não-adeptos de alguma religião

O ateísmo ou a indiferença às religiões parecem dominar alguns setores sociedade (e a maior parte da mídia), mas 84% da população mundial afirma seguir alguma religião. São 2,3 bilhões de cristãos, 1,8 bilhão de muçulmanos e 1,1 bilhão de hindus. Mesmo entre os 16% restantes, a maioria não se declara ateia: são pessoas que acreditam na existência de Deus ou têm afinidade com alguma espiritualidade, mas não se identificam com nenhuma religião organizada.

2 – A média de idade dos adeptos de alguma religião

Setores da mídia procuram passar a ideia de que as pessoas religiosas são as mais velhas e que a ausência de religião predomina entre os jovens. A realidade não é esta: enquanto a média de idade da população global é de 28 anos, a média entre os que se declaram muçulmanos é de 23 anos e a dos que professam o hinduísmo é de 26. Entre os cristãos, a média é de 30 anos de idade – o que tem relação com o fato de que as sociedades cristãs ocidentais têm menos filhos e não necessariamente com a suposta maior ausência de religião entre os jovens de famílias cristãs. Ao contrário da crença acrítica, são as pessoas sem religião as que, na verdade, compõem um dos grupos com a média de idade mais alta: 34 anos. É a mesma do budismo. Somente o judaísmo apresenta média de idade maior que a daqueles que se declaram sem religião: 36 anos.

3 – O ritmo de crescimento dos grupos religiosos

O islã é a religião que mais cresce no mundo, com ritmo de crescimento superior ao dobro do ritmo da população mundial. Esta deverá crescer 32% até 2060, mas a população muçulmana poderá crescer 70%. De novo, é um dado ligado ao fato de que os muçulmanos têm mais filhos. Mesmo os cristãos, com taxas de natalidade menores, crescerão mais que a população global: 34% no mesmo período. Já o número de pessoas sem religião deverá cair em vez de aumentar: em 2060, estima-se passará dos atuais 16% para 10%.

4 – O ritmo de conversões

Pesquisas diversas apontam ainda uma taxa alta de conversão, que varia conforme os contextos. Nos Estados Unidos, por exemplo, 23% dos muçulmanos chegaram ao islã via conversão. Já na Europa, os refugiados que se convertem ao cristianismo são uma das grandes forças da fé cristã europeia na atualidade. Mesmo a China, submetida ao ateísmo forçado pelo Estado comunista, vem experimentando uma onda de religiosidade: e não faltam previsões de que o país abrigará já em 2030 nada menos que maior população cristã do planeta.

__________

A partir de matéria de Felipe Sérgio Koller para o Sempre Família

São leitores como você que contribuem para a missão da Aleteia

Desde o início de nossas atividades, em 2012, o número de leitores da Aleteia cresceu rapidamente em todo o mundo. Estamos comprometidos com a missão de fornecer artigos que enriquecem, informam e inspiram a vida católica. Por isso queremos que nossos artigos sejam acessados por todos. Mas, para isso, precisamos da sua ajuda. O jornalismo de qualidade tem um custo (maior do que o que a propaganda consegue cobrir). Leitores como você podem fazer uma grande diferença, doando apenas $ 3 por mês.