Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

O ingrediente mais importante para um casamento duradouro não é o que você pensa

PARA TRZYMA SIĘ ZA RĘCE
Pablo Heimplatz/Unsplash | CC0
Compartilhar

Psicólogo revela o ingrediente que faz um casamento durar. E não, não é o amor.

Há tempos casais e, principalmente, especialistas vêm tentando desvendar o segredo para um casamento feliz. Será que há alguns ingredientes, alguns hábitos que fazem um relacionamento durar? Alguns falam que é paciência, outros amor e outros amizade. Mas o doutor em psicologia, Helen Kellerman, fez uma revelação de que o casamento depende de um ingrediente que poucos levam a sério nos seus relacionamentos.

“A pergunta é: como nós humanos somos diferentes de lagartos, ou até mesmo de amoebas? A resposta é que nós conversamos. Você quer salvar seu casamento? Então converse, converse, converse. Se você fizer isso, você estará criando uma tradição no seu casamento que permitirá os dois lidarem com qualquer tipo de dificuldade”, explica o dr. Kellerman ao Psychology Today.

A comunicação é essencial para o convívio humano, e muito importante também no casamento. A conversa é muito mais importante que a atração física ou até o amor à primeira vista.

Segundo o dr. Kellerman, 50% dos casamentos que se iniciam por causa do amor à primeira vista acabam em divórcio. 50% dos casamentos que se iniciam por atração física também acabam em divórcio. Agora, para a surpresa de todos, casamentos que se iniciam por uma tradição forte de conversa para resolver problemas, a porcentagem de divórcio cai para 15%.

O casal deve conversar sobre suas insatisfações e satisfações, realmente se abrir. Os casais devem aprender que é importante compartilhar seus sentimentos, quando se sentem inseguros ou inadequados e também quando se sentem bem e felizes. Apesar de os homens terem mais dificuldade em se abrir, isso vale tanto para homens quanto mulheres.

Se abrir para o cônjuge é uma forma de conexão e também de autoconhecimento. Um ajuda o outro a progredir e a enfrentar problemas juntos.

O que fazer quando o casamento está falhando na comunicação?

1. Explique por que conversar é importante para você

Diga para o seu parceiro que você valoriza a comunicação. A terapeuta de casais e psicóloga, Debra Campbell, explica que se o seu parceiro está tendo dificuldade em se abrir, fale que você acha que essa conversa é importante para o casamento.

“Fale para o seu cônjuge como isso aprofunda seu relacionamento íntimo quando você descobre mais sobre o que faz os dois dar um ‘clique’ e o que está lhe chateando”, diz a terapeuta.

2. Não diga “nós precisamos conversar”

Essa é uma das frases mais assustadoras em um relacionamento, e por uma boa razão. O terapeuta, Kurt Smith, explica que ao falar isso, o parceiro pode entrar em estado de defesa e trancar suas emoções. Escolha falar de assuntos delicados em um momento casual.

“Muitos casais com crianças dizem que eles nunca têm tempo sozinhos, mas você pode encontrar tempo durante o dia a dia se você for criativo”, explica Smith ao Huffington Post.

3. Se abra primeiro

Se você quer melhorar a comunicação do casamento, comece por você. Expresse seus sentimentos e vulnerabilidades, se abra com o seu cônjuge.

“Se você falar de mágoas do passado, seu cônjuge conseguirá entender melhor o contexto da sua dor porque você compartilhou como outras pessoas a fizeram sentir”, explica a terapeuta de casais, Kari Carroll. “Quando seu cônjuge vê que você se sente segura no relacionamento, a probabilidade dele fazer o mesmo aumenta.”

4. Seja um bom ouvinte

Não há nada mais frustrante do que ser ignorado, conversar com alguém que não está ouvindo. Se você quer ser ouvido, ouça também.

“Tente ficar em silêncio por pelo menos 15 segundos, mantenha contato visual e uma expressão facial suave”, diz a terapeuta de casais, Amanda Deverich, ao Huffington Post.

5. Não responda com raiva

Se você quer uma conversa construtiva e não DEStrutiva, segure a raiva. “A raiva provoca um instinto para resposta de brigue-ou-brigue”, explica Aaron Anderson, terapeuta familiar.

Controle o seu temperamento, agir com raiva não resolverá nada. Paciência e gentileza irá fazer uma grande diferença na comunicação do casal.

 

(via Famifi)