Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

O estresse na adolescência

TEENAGE, GIRL, STRESS
Shutterstock
Compartilhar

Pais, ajudem seus filhos a identificar e combater este mal

A adolescência é uma fase complicada, marcada por mudanças físicas e emocionais, novas opções e responsabilidades assumir. As relações com as pessoas também mudam. Mas um estudo evidencia que não são apenas os hormônios que preocupam os jovens; eles se mostram cada vez mais incapazes de identificar a angústia e a dor que sentem. 

Desde 2012, a pesquisa analiza amostras de mais de 830.000 telefonemas, mensagens de texto, e-mails e chats recebidos por um serviço de apoio chamado Boys Town. O conteúdo dessas conversas revelou que os adolescentes estão lutando muito – mais do que nunca – contra a ansiedade.

 Para se ter ideia, a angústia mental presente entre os adolescentes que usam o serviço aumentou 12% nos últimos cinco anos. 

Motivos do estresse entre os adolescentes 

Os adolescentes sempre querem se mostrar seguros no que fazem ou pensam. Mas a experiência nos ensina que o caminho nem sempre é esse; há situações que causam estresse. Por exemplo: pressão e fracasso na escola, pensamentos negativos sobre si mesmo, mudanças no corpo e problemas relativos aos pais (brigas, separação, tensão ou sobrecarga de atividades e compromissos). 

Sintomas 

Não devemos esperar que nossos filhos expliquem o motivo pelo qual eles estão estressados, pois, provavelmente, nem eles saibam o que está acontecendo. Por isso, devemos estar atentos aos seus comportamentos. 

Sintomas que podem indicar o estresse: 

  • esgotamento e cansaço crônico, com sensação de mal-estar;
  • auto-crítica excessiva;
  • sentimento de perseguição;
  • cinismo;
  • irritabilidade e negatividade;
  • insônia;
  • tendência a correr riscos frequentemente. 

Técnicas e atitudes que ajudam a amenizar o estresse dos adolescentes: 

  • praticar esportes;
  • ter uma alimentação saudável;
  • evitar o excesso de cafeína, que provoca ansiedade e agitação; 
  • não consumir drogas nem tabaco;
  • diminuir a negatividade sobre a autoimagem;
  • potencializar os pensamentos positivos com metas concretas de pequenos desafios realizáveis;
  • descansar depois de situações estressantes (ouvir música, conversar com um amigo, desenhar, escrever);
  • contar com amigos que possam ajudar a enfrentar as situações de maneira positiva. 

Enfim, a adolescência é complexa e cheia de instabilidades. Se quisermos ver nossos adolescentes construindo sua vida de maneira positiva, é essencial que, no contexto familiar e educativo, eles percebam pensamentos positivos, princípios e valores saudáveis e ideais nobres, que os motivem a lutar por algo por seu bem-estar e o dos outros.