Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Aleteia

10 músicas famosas inspiradas na Bíblia

ROLLING STONES
SEBASTIAN GOLLNOW / DPA / AFP
Compartilhar

Quando a mensagem chega através da música...

Santo Agostinho tinha razão quando dizia “canta e caminha”, referindo-se à alegria da vida cristã.

O Papa Francisco também já confessou que gosta muito de cantar, porque faz bem para a alma – embora ele diga que não tenha habilidades para a música,

Muitos artistas famosos se inspiraram em versículos da Bíblia para compor belíssimas canções. Uns foram mais literais; outros os transformaram em músicas conhecidas no mundo inteiro. Talvez porque as pessoas – mesmo sem saberem a origem dessas canções- se identificam com a mensagem.

É o poder da música: não somente entreter, mas eternizar momentos e emoções humanas.

Confira algumas dessas músicas inspiradas nas Sagradas Escrituras:

1) “40”, do U2

Os irlandeses da banda U2 cantam uma variedade de músicas inspiradas na Bíblia. Em “40”, que está no álbum War, de 1983, Bono Vox literalmente abriu a Bíblia e de lá retirou esta canção. Eles já estavam com a gravação do álbum atrasada em uma semana e precisavam de uma última letra para completar a lista. Foi quando Bono pegou o Salmo 40 e fez algumas modificações. Em menos de uma hora a música estava pronta, tendo usado 10 minutos para escrevê-la, 10 para gravar, 10 para mixar e outros 10 para fazer a mixagem e re-escutar. Na década de 80 esta foi a música escolhida pela banda para fechar a maioria de seus shows.

 

2) “He turned the water into wine”, de Johnny Cash

Em uma apresentação na prisão de San Quentin, Cash explicou que essa canção havia sido escrita em uma turnê que ele fez por Israel, juntamente com sua esposa June Carter, em 1968. Naquela viagem eles foram até Caná e passaram em uma pequena igreja com uma cisterna com água. Aquele era o lugar onde Jesus transformou água em vinho, como descrito no livro de João 2.1-11. Cash contou então àqueles prisioneiros que o barulho da água e o sentimento bom por estar naquele lugar o inspiraram como raramente acontecia. Na volta para a cidade de Tiberíades ele compôs “He Turned the Water into Wine”.

 

3) “Where you lead”, de Carole King

A música foi inspirada no livro de Rute, onde é contada a história de Rute que, mesmo após a morte do marido, decidiu permanecer ao lado da sogra Noemi. No capítulo 1, versículo 16, Rute diz: “Não insistas comigo que te deixe e que não mais te acompanhe. Aonde fores irei, onde ficares ficarei! O teu povo será o meu povo e o teu Deus será o meu Deus!” E é possível encontrar entre os versos da música de Carole a citação. A música ficou bastante conhecida também, quando se tornou o tema da série Gilmore Girls, que conta sobre o relacionamento entre mãe e filha, inseparáveis.

 

4) “Be still”, de Kelly Clarkson

Embora a música seja do terceiro álbum de Kelli, ela é um reflexo da turnê que a cantora fez quando lançou seu segundo álbum. Para escrever “Be still” ela se inspirou em um de seus versículos bíblicos preferidos que diz: “Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus”, e que está no Salmo 46:10. A cantora que foi vencedora de um show de talentos americano e viu sua vida se transformar em pouco tempo, percebeu que apesar de toda a confusão que é a indústria da música, é preciso ter tempo para refletir e apreciar a vida.

 

5) “The Prophet’s Song”, do Queen

A letra escrita por Brian May, guitarrista da banda, faz referência aos versículos bíblicos sobre a Arca de Noé. Ele compôs a música nos anos 70 após sonhar com uma grande inundação. Entre os versos de “The Prophet’s Song” pode-se encontrar, por exemplo, referências à pomba branca, que foi o pássaro que Noé liberou para ver se as águas haviam baixado e que retornou sete dias mais tarde com um ramo de oliveira no bico.

 

6) “Turn, turn, turn”, do The Byrds

A música, que foi um hit da banda em 1965, é baseada no capítulo três do livro de Eclesiastes, onde o rei Salomão contempla o sentido da vida. É possível ouvir os versos “Um tempo para nascer, um tempo para morrer; Um tempo para plantar, um tempo para colher; Um tempo para matar, um tempo para curar; Um tempo para rir, um tempo para chorar”. O compositor da canção, o baixista da banda Chris Hillman, contou em entrevistas que a letra era para ser uma ironia. Anos mais tarde ele se converteu ao cristianismo.

 

7) “His hand in mine”, de Elvis Presley

Título do sétimo álbum de estúdio de Elvis Presley, “His hand in mine” foi inspirada no Salmo 23. Aliás, todo este álbum teve inspiração na Bíblia e foi um sucesso de vendas. Seguindo a mesma receita, em 1967 o cantor lançou outro álbum do mesmo gênero, intitulado “How great thou art” e com ele conquistou seu primeiro Grammy na categoria “Best Sacred Performance”. Elvis Presley costumava viajar em turnê tendo como uma de suas companhias a Bíblia. O exemplar está exposto no Museu da Bíblia em Washington, nos Estados Unidos.

 

8) “The wanderer”, de U2 com Johnny Cash

Embora Bono Vox tenha escrito esta letra, ela não foi cantada primeiramente por ele. Bono Vox explicou em entrevistas que a inspiração para a composição de “The Wanderer” foi o livro de Eclesiastes, em que há uma busca constante do autor, rei Salomão, pelo sentido da vida. O rei Salomão então descobre que o sentido está no amor pelo que se faz e na aceitação das adversidades que aparecem pelo caminho. Quando Johnny Cash morreu, Bono cantou a canção em sua homenagem.

 

9) “Prodigal son”, do The Rolling Stones

Claramente inspirada na Parábola do Filho Pródigo, que está em Lucas 15.11-32, a canção original tinha outro nome. Escrita pelo reverendo Robert Wilkins, a letra foi encontrada por Keith Richards, guitarrista da banda e grande amante do gênero blues, que a apresentou aos amigos. A música entrou no disco Beggar’s Banquet, de 1968.

 

10) “Joseph, better you than me”, do The Killers

Ela foi escrita pelo vocalista da banda, Brandon Flowers, tendo como colaboradores Elton John e Neil Tennant, vocalista do Pet Shop Boys. De acordo com Brandon Flowers, a letra faz referência a José, pai de Jesus, que muitas vezes é deixado em segundo plano mesmo tendo grande importância na história. Em uma entrevista, certa vez, Flowers contou que ouviu sobre José na igreja e parou para imaginar como deveria ter sido difícil para ele a tarefa de criar o filho de Deus, junto com Maria. Lançada em 2008, todos os rendimentos da canção foram doados a uma organização que luta contra a AIDS.