Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Mãe de 9 filhos comove o Papa Francisco na Estônia

Catedral Tallinn
CC
Compartilhar

Ela vive em um lar de caridade, ajudada por freiras católicas num país em que apenas 0,5% da população é católica

Durante a visita pontifícia do Papa Francisco aos três países bálticos, Lituânia, Letônia e Estônia, um testemunho o deixou especialmente comovido no dia de hoje: o de uma mãe de 9 filhos que vive em um lar de caridade e cujo esposo ficou três anos preso.

Marina deu o seu depoimento na Catedral de São Pedro e São Paulo, situada em Tallinn, a capital estoniana. Na Estônia, apenas 0,5% da população é católica. Uma maioria de cerca de 75% se declara sem religião. Entre os cristãos, a maioria é ortodoxa, seguida pelos luteranos. Foi na capital desse país amplamente secularizado que o Papa se reuniu com pessoas ajudadas por obras de caridade mantidas pela Igreja – entre essas pessoas, Marina.

Ela contou, que há treze anos, as Missionárias da Caridade foram fundamentais para ajudar a família durante uma fase crítica:

“Foi graças a elas que o meu esposo e eu vivemos juntos hoje, com dificuldades, mas tranquilos, cuidando da nossa grande família”.

O Papa parabenizou a família:

“Vocês foram abençoados com nove filhos e com bastante sacrifício, como vocês destacaram. Onde há crianças e jovens, há muito sacrifício, mas, especialmente, há futuro, alegria e esperança. Nestas terras de invernos tão rigorosos, vocês têm o calor mais importante de todos: o calor do lar, esse calor que nasce quando se está junto com a família. Com discussões e problemas? Sim. Mas com vontade de seguir em frente todos juntos. Não só com palavras bonitas, mas com bons exemplos”.

Francisco agradeceu também às freiras que ajudaram a família:

“Vocês não tiveram medo de ir ao encontro deles para serem sinal de proximidade e da mão estendida do nosso Deus. A fé missionária dessas irmãs está nas ruas das nossas cidades, dos nossos bairros, das nossas comunidades, dizendo com gestos bem concretos: ‘Você faz parte da nossa família, da grande família de Deus, na qual todos nós temos lugar. Não fiquem de fora’”.

Ele ainda fez um convite às religiosas:

“Sair pelos bairros para dizer a muita gente: ‘Todos vocês fazem parte da nossa família. Jesus chamou os discípulos e hoje também chama todos vocês, queridos irmãos, para continuarem semeando e transmitindo o Reino d’Ele. Ele conta com as suas histórias, com as suas vidas, com as suas mãos, para percorrer a cidade e compartilhar as mesmas coisas que vocês viveram. Posso contar com vocês?’”.