Aleteia
Segunda-feira 26 Outubro |
São Fulco
Atualidade

Cientistas apresentam diagnóstico sobre clima

FACTORY,CLIMATE,SMOKE

Thomas Hafeneth | Unsplash

Agências de Notícias - publicado em 01/10/18

Agora estamos na encruzilhada. Olhar para 1,5 ºC é olhar o que vai acontecer com a gente, na nossa vida, não à geração seguinte

Reunidos na Coreia do Sul, os delegados dos Estados da ONU estudam, a partir desta segunda-feira (1º), o último informe dos cientistas do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC, na sigla em inglês), um balanço implacável dos efeitos da mudança climática e do atraso para enfrentá-la.

O informe se baseia em 6.000 estudos científicos e adverte sobre o forte impacto do aumento de 1,5 ºC das temperaturas no planeta. Também coloca as opções, limitadas, para agir e manter o mundo abaixo desse limite.

Em 2015, na cúpula COP21 realizada em Paris, a ONU encarregou o IPCC de fazer um informe sobre a meta de 1,5 ºC.

Os países tinham acabado de se comprometer com reduzir suas emissões para permanecerem “muito abaixo dos 2 ºC” em relação à era pré-industrial.

O compromisso ampliado de “prosseguir com os esforços para limitar o aumento a 1,5 ºC” foi obtido no último minuto e era uma reivindicação dos Estados mais vulneráveis, como as ilhas menores.

Desde então, os pesquisadores revisaram os riscos, em um mundo afetado pelo aumento das ondas de calor e dos incêndios florestais.

“Há três anos, não havia muita literatura científica sobre um aquecimento de 1,5 ºC”, lembra Jim Skea, professor do Imperial College de Londres e copresidente do IPCC.

O informe, de 400 páginas, descreve uma clara diferença de impacto entre 1,5 ºC e 2 ºC, em todos os âmbitos, seja em relação ao nível das ondas de calor, à extinção de espécies, ou à produtividade agrícola.

“Isso é importante, pois esclarece a questão: sim, marca uma grande diferença [1,5 ou 2]”, afirma Laurence Tubiana, arquiteta do Acordo de Paris.

“Lembro de conversas com muitos países antes de Paris. Nos diziam: ‘por que 2 ºC? Por que não 2,5 ºC?'”, completou.

– Possível? –

Há dúvidas, porém, sobre a viabilidade da meta de +1,5 ºC. A pergunta não é irrelevante, caso se leve em conta que, em 2017, as emissões mundiais fruto da energia fóssil voltaram a crescer.

“Não damos uma resposta simples”, avisa a climatologista Valérie Masson-Delmotte, que copresidirá esta sessão coreana do IPCC.

Mas, “agora estamos na encruzilhada. Olhar para 1,5 ºC é olhar o que vai acontecer com a gente, na nossa vida, não à geração seguinte”.

Estabilizar o aumento em 1,5 ºC exige neutralidade nas emissões de CO2 na metade do século, aponta o projeto submetido ao IPCC.

A publicação do informe chega dois meses antes das negociações sobre o clima da COP24, prevista para acontecer na Polônia. Os países devem iniciar um processo de revisão de seus compromissos de 2015, insuficientes, já que implicaria um aumento de 3 ºC.

Não se espera que os Estados modifiquem a base do informe, mas pode haver um forte debate sobre sua formulação. Além disso, resta a incógnita americana.

“Os Estados Unidos poderiam apoiar a ciência, como fizeram no passado, ou obstruí-la”, afirmou um autor, que pediu para não ser identificado.

Segundo o Departamento de Estado americano, Trigg Talley, um veterano da diplomacia sobre o clima, foi o encarregado de liderar a delegação – algo que os autores avaliaram como “tranquilizador”.

Cerca de 60 governos proferiram 3.600 comentários sobre a versão preliminar, segundo Valérie masson-Delmotte. “Até o momento, está sendo construtivo”, afirmou.

Em princípio, a reunião vai até sexta, mas o informe deve ser tornado público, oficialmente, na segunda-feira, dia 8.

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Papa Francisco
Francisco Vêneto
Papa Francisco e casais homossexuais: o que e...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
Rosário
Philip Kosloski
Benefícios do Rosário: 3 virtudes que aprende...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia