Aleteia
Segunda-feira 26 Outubro |
São Fulco
Atualidade

Dupla vence o Nobel de Medicina por pesquisa sobre imunoterapia para câncer

CHEMOTHERAPY

Palawat744 - Shutterstock

Agências de Notícias - publicado em 01/10/18

A descoberta permitiu desenvolver uma nova classe de tratamentos que se mostraram eficazes contra o melanoma

O Prêmio Nobel de Medicina foi atribuído nesta segunda-feira (1) a uma dupla de imunologistas, o americano James P. Allison e o japonês Tasuku Honjo, por seus trabalhos sobre a capacidade do organismo de se defender contra cânceres agressivos, tais como de pulmão e melanoma.

Enquanto no último século a imunoterapia contra o câncer fez avanços “modestos”, os covencedores do Prêmio Nobel de Medicina 2018 revolucionaram a área, oferecendo aos pacientes uma nova esperança, explicou a Assembleia do Nobel do Instituto Karolinska em Estocolmo.

Os pesquisadores descobriram as estratégias das células cancerosas para contornar as defesas do organismo e especialmente a sua capacidade de captura de proteínas PD-1 e CTLA-4, chamadas de “checkpoints imunitários”, para neutralizar as células T que as combatem.

Os dois cientistas “soltaram os freios” e “souberam apertar os bons pedais de aceleração” do sistema imunológico, informou o júri do Nobel.

Esta descoberta permitiu desenvolver uma nova classe de tratamentos que se mostraram eficazes contra o melanoma, um câncer de pele muito agressivo, com uma taxa de mortalidade de 50% dos pacientes dentro de um ano após o diagnóstico. Hoje os pacientes têm remissões de mais de dez anos.

“Essa é uma boa notícia para todos, especialmente para os doentes (…) É uma revolução equivalente à chegada dos antibióticos”, comentou Eric Vivier, pesquisador do Inserm.

James P. Allison, de 70 anos, professor de imunologia no Centro do Câncer da Universidade do Texas, e Tasuku Honjo, 76 anos, professor da Universidade de Kyoto, já haviam recebido em 2014 o prêmio Tang, apresentado como a versão asiática do Nobel.

No ano seguinte, James P. Allison recebeu o prêmio Lasker na categoria de pesquisa clínica.

“Estou honrado em receber este prestigioso reconhecimento”, ele reagiu em seu site. “Os cientistas ambicionam simplesmente forçar as fronteiras do conhecimento, e minha intenção não era estudar o câncer, mas entender a biologia das células T, essas células incríveis que correm pelo nosso corpo para protegê-lo”.

Por sua parte, Honjo disse em uma coletiva de imprensa na Universidade de Kyoto que sua intenção é “continuar com sua pesquisa para que a imunoterapia salve mais pacientes com câncer do que nunca”.

– Francês condenado por estupro –

No ano passado, o Nobel de Medicina foi atribuído a um trio de americanos por seus trabalhos sobre o relógio biológico do corpo, que explica a adaptação do corpo aos ciclos do dia e da noite, assim como os transtornos do sono.

O Prêmio Nobel este ano tem uma dotação econômica de 9 milhões de coroas suecas (1,1 milhão de dólares).

O Nobel de Medicina foi o primeiro anunciado nesta edição. Nos próximos dias serão anunciados os de Física e Química, assim como o da Paz. O vencedor de Economia será anunciado na próxima segunda-feira.

Pela primeira vez desde 1949, o anúncio do prêmio de Literatura foi adiado em um ano pela Academia Sueca, mergulhada em divisões internas e a saída de vários membros.

O anúncio do Nobel de Medicina foi feito poucos minutos após a condenação a dois anos de prisão do francês Jean-Claude Arnault, processado na Suécia por estupro, em um caso revelado em plena campanha #MeToo.

Arnault, 72 anos, era acusado de estuprar duas vezes, em outubro e dezembro de 2011, uma jovem em um apartamento da capital sueca. Ele foi condenado pelo crime de outubro, anunciou a juíza Gudrun Antemar em um comunicado.

O escândalo, que abalou a Academia Sueca, explodiu em novembro de 2017, um mês depois das revelações sobre estupros e outras agressões sexuais atribuídas ao produtor de cinema americano Harvey Weinstein.

Os depoimentos de 18 mulheres, incluindo a demandante, publicados no jornal sueco Dagens Nyheter, que acusavam o francês de estupro ou agressão sexual, implodiram a Academia Sueca, que concede desde 1901 o Prêmio Nobel de Literatura.

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Papa Francisco
Francisco Vêneto
Papa Francisco e casais homossexuais: o que e...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
SAINT MICHAEL
Philip Kosloski
Oração a São Miguel por proteção contra inimi...
Rosário
Philip Kosloski
Benefícios do Rosário: 3 virtudes que aprende...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia