Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Sábado 23 Janeiro |
São Vicente Pallotti
home iconAtualidade
line break icon

México recorda os 50 anos do massacre de estudantes de Tlatelolco

Crime

By Ilya Andriyanov | Shutterstock

Agências de Notícias - publicado em 02/10/18

Embora faltassem 10 dias para as Olimpíadas na época, os correspondentes esportivos já estavam no México em 2 de outubro

Cinquenta anos depois do massacre de estudantes da Plaza de Las Tres Culturas de Tlatelolco, no centro da Cidade do México, ex-líderes do movimento, ativistas e dirigentes de esquerda realizaram nesta terça-feira (2) uma passeata em memória dos mortos, cujo número exato continua desconhecido.

Uma cerimônia também foi organizada na praça de Zócalo, centro da capital.

“Em 1968, houve uma grande explosão de valores. Ficou claro para as pessoas que a luta era necessária para a construção de um novo país”, declarou Felix Hernandez, de 72 anos, um dos líderes do movimento que exige saber quantos estudantes morreram e por quais motivos foram mortos.

Na tarde de 2 de outubro, Hernández estava junto a outros oradores em uma tribuna improvisada, explicando às 8.000 pessoas presentes os resultados de uma reunião que havia tido com representantes do então presidente, Gustavo Díaz Ordaz.

Vários jovens já haviam sido mortos em protestos reprimidos pelas forças de segurança, e o movimento ganhava cada vez mais popularidade.

Hernández recorda que, de um momento para outro, rojões iluminaram o céu e, em seguida, franco-atiradores abriram fogo durante meia hora contra os manifestantes.

Depois, soube-se que os rojões eram o sinal para dar início aos disparos.

Hernández recorda que viu muita gente morrer. Depois passou dois anos e meio na prisão.

Na véspera, alunos da Faculdade de Artes Cênicas reencenaram o massacre para recordar os mortos e denunciar que o que era um comício pacífico virou uma cena de horror.

Habitantes de Tlatelolco relataram à imprensa na ocasião que viram centenas de corpos em poças de sangue, amontoados dentro de caminhões, ou empilhados nos cantos da rua.

Investigações revelaram que o governo teria usado três corpos de segurança para reprimir o comício. Uma das corporações era formada por franco-atiradores, cuja única missão era executar militantes e estudantes.

– Terremoto histórico –

“O ano de 1968 foi um terremoto histórico, que mudou a vida política do México para melhor, e seus efeitos continuam até hoje”, escreveu o historiador mexicano Enrique Krauze no jornal “The New York Times”.

A recente vitória do esquerdista Andrés Manuel López Obrador confirma esse legado, segundo Krauze.

Recentemente, López Obrador foi à Plaza de Las Tres Culturas e disse que seu governo, que começa em 1º de dezembro, jamais recorrerá à repressão.

López Obrador não falou, porém, sobre a reabertura de arquivos oficiais sobre este evento, o que é reivindicado por sobreviventes, parentes de vítimas e historiadores para fazer justiça aos mortos.

Mais de 30 anos após o massacre, Luis Echeverria – assessor de Diaz Ordaz – foi julgado pelo crime de genocídio. Devido à idade avançada, ele enfrentou apenas a prisão domiciliar e conseguiu liberdade condicional.

Embora faltassem 10 dias para as Olimpíadas na época, os correspondentes esportivos já estavam no México em 2 de outubro, e alguns documentaram o massacre. A imprensa informou entre 300 e 500 mortos, enquanto o governo reconheceu a morte de apenas 20.

(AFP)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
1
Larry Peterson
Ela se divorciou duas vezes, teve 8 filhos, virou freira e levou ...
2
FETUS
Francisco Vêneto
Abortos no mundo em 2021 já superam mortes por covid em toda a pa...
3
Aleteia Brasil
5 milagres que a ciência tentou, mas nunca conseguiu explicar
4
Aleteia Brasil
O testemunho de São Sebastião, o soldado mártir do Império Romano
5
POPE AUDIENCE
Reportagem local
A oração de cura que pode ser dita várias vezes por dia
6
Aleteia Brasil
Na íntegra: as três partes do Segredo de Fátima - e uma interpret...
7
Daniel Neves e Nossa Senhora dos Rins
Francisco Vêneto
Nossa Senhora dos Rins e a devoção de um menino que pede a graça ...
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia