Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Meus filhos estão afastados de Deus. O que devo fazer?

RELIGION
Africa studio - Shutterstock
Compartilhar

Em certas idades, é preciso falar mais a Deus sobre seus filhos e menos aos seus filhos sobre Deus

Às vezes, nós, pais, nos desesperamos ao ver que, em certas idades – principalmente na adolescência – nossos filhos se afastam de Deus e da fé em que cresceram. É tanto susto que chegamos a forçá-los – ao invés de convidá-los – a ir a uma Missa, a fazer retiros etc.  

Isso é um erro grave. E digo erro porque nós não damos conta que o querer forçá-los não vem do amor, mas do medo. Perdemos a confiança nos frutos da formação que lhes demos. Existe também um pouco de ignorância que muitos de nós, pais, têm. 

Embora cada adolescente seja único, o certo é que quase todos buscam seu próprio “eu”, tentando descobrir sua identidade e alcançar certa independência. Também procuram modelos a seguir – e é justamente aí que está a chave para o desenvolvimento da espiritualidade religiosa. 

Se a religião é o laço que uma pessoa tem com seu Criador, o adolescente, apesar de sentir que pode tudo e que não precisa de ninguém, também experimenta a necessidade de estar conectado com Aquele que o criou. Como a adolescência é uma fase de buscas, nessa busca também está Deus (como modelo a seguir). 

E por que é tão importante que o adolescente descubra e viva essa conexão com seu Criador e que os pais façam um acompanhamento prudente, paciente e amoroso desse processo? Por muitas razões. Nesta idade, o distanciamento entre pais e filhos é normal. É quando o adolescente tem que ter a segurança de que existe um amor ainda mais profundo em relação a um “Ser” que só pode ser conhecido através da fé. 

Por cultura ou por medo do que os outros vão dizer, nem todos os meninos e meninas falam de Deus. No entanto, quando descobrem seu amor puro, os jovens passam a ter coragem de compartilhar a fé com os demais. 

É que o caminho espiritual ajuda muitos deles a se conhecerem e se amarem, pois é assim que Deus faz com eles. E com a mesma facilidade, eles passam a amar os outros. 

O que nós, pais, devemos fazer? 

Devemos ser exemplos! Os pais são fundamentais no desenvolvimento da espiritualidade dos jovens. 

O adolescente observa e julga os pais. A partir disso, toma suas próprias decisões: desejo ser como eles ou não? Poucos pais se dão conta de que, para seus filhos, eles são representantes de Deus na terra. Através do exemplo dos pais é que os filhos conhecem e chegam a Deus. Porém, infelizmente, o contrário também é verdadeiro. 

Pais, que nós possamos desatar as mãos de Deus para que Ele aja conforme a Sua vontade. Não atrapalhemos os planos que Ele tem para nossos filhos. Não tenhamos medo. Lembremo-nos de que eles são filhos de Deus e que se Ele nos os confiou é porque temos todas as capacidades para guiá-los e encaminhar suas almas para Céu. 

Os tempos de Deus são perfeitos e, geralmente, diferentes dos nossos. Nossos filhos podem estar distantes da fé, mas nossas orações vão fazê-los voltar. Peçamos de joelhos pela conversão deles:

“Senhor, fazei com que meu filho sinta a necessidade de Vós”.