Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Tolerância zero com abusos sexuais leva Papa a demitir dois bispos

POPE FRANCIS
Antoine Mekary | ALETEIA
Compartilhar

Eles foram julgados por acobertamento de pedófilos; a decisão do Papa Francisco não admite recursos

O Papa Francisco dá prosseguimento à consolidação da sua política de tolerância zero no tocante a casos de abuso sexual perpetrados por membros do clero católico. Nas últimas semanas, ele demitiu três padres católicos do estado clerical na América Latina e, agora, acrescentou dois bispos do Chile a essa lista.

Trata-se de Francisco José Cox, arcebispo emérito de La Serena, membro do Instituto dos Padres de Schoenstatt, e Marco Antonio Órdenes Fernández, bispo emérito de Iquique.

O Papa Francisco já tinha prometido que não concederia o indulto a nenhum clérigo julgado e condenado pelo crime de abuso contra menores ou contra adultos vulneráveis, independentemente de ser presbítero, bispo ou cardeal. De fato, a nota informativa divulgada pelo Vaticano neste último sábado, 13, confirma que a “decisão do Papa não admite recurso”.

Francisco José Cox foi investigado por quatro acusações de abusos cometidos no Chile e na Alemanha. Marco Antonio Órdenes Fernández, que renunciou em 2010, enfrentava acusações de ter molestado uma criança em 2009, quando era reitor do santuário chileno de Nossa Senhora do Carmelo.

A Conferência Episcopal do Chile expressou solidariedade para com as vítimas dos abusos e declarou a sua adesão incondicional à decisão do Papa.