Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Pe. Reginaldo Manzotti: o fast-food espiritual

CANDLE,LIGHT
Public Domain
Compartilhar

Você pode ser a solução para este problema que atinge nossa sociedade

Estamos no mês das missões e é interessante como acontecem os meses temáticos. Em maio, por exemplo, somos aconchegados por Nossa Senhora. Maria nos desperta para as vocações, que celebramos no mês de agosto.

Vocacionados que somos temos que mergulhar na Palavra de Deus e mergulhados na Palavra, não voltamos atrás. Não voltamos para o nosso mundo interior, saímos em missão. Interessante percebermos como a Igreja é sábia e como sempre temos algo a descobrir. Seguindo esta dinâmica, no mês de setembro destacamos a Palavra porque Ela nos impele e nos joga na missão.

Eu me sinto privilegiado por estar à frente de uma missão tão importante com a  Obra Evangelizar é Preciso, que é consagrada a Jesus das Santas Chagas e a Nossa Senhora do Carmo, mas que todas as grandes novidades na evangelização são anunciadas exatamente no dia de Santa Teresinha. Porque este foi o mandato de Nosso Senhor Jesus Cristo, que disse: “Ide por todo mundo pregai o Evangelho a toda a criatura” (Mc 16, 15).

O Papa João Paulo II fez ecoar essas palavras de Jesus, quando disse que muitos são batizados, mas pouquíssimos são evangelizados. Evangelizar é preciso em sintonia com a Igreja do Brasil e seu Projeto: “Queremos ver Jesus, caminho, verdade e vida”.

Nunca o nome de Jesus foi tão falado e propagado, mas, infelizmente, como um “fast food espiritual” que resolve o problema de todos principalmente daqueles que arrecadam no uso de Seu nome.

E, a única forma de lutar contra todas essas leviandades de uma fé banalizada é levar as pessoas a uma experiência profunda com Jesus, resgatando-as para Ele.

A própria Igreja no Brasil, nos lança os desafios quando pede uma evangelização que atinja a pessoa, a comunidade e a sociedade. Desafio que se torna maior ainda quando nos questionamos se evangelizar, segundo as palavras de Jesus, “Eu vos farei pescadores de homens”, significa pescar num aquário ou reduzir nossa evangelização a sermões dados e bem preparados àqueles que frequentam a Igreja.

Evangelizar não seria estar disposto a falar, de uma forma renovada, atual, as verdades do Evangelho para que possam ser compreendidas por todos aqueles que estão além das paredes nossas Igrejas?

A Igreja nos desafia a evangelizar e a trazer de volta o católico “de ocasião”, aquele que só vem para batizados, missa de sétimos dia ou quando o desgosto da vida faz com que a pessoa busque a Igreja como um “supermercado de graças”.

O desafio da evangelização se faz maior quando somos chamados a “lançar redes em águas mais profundas”, para resgatar os jovens que, cada vez mais, estão distantes da Igreja e, quando nela estão, exigimos que se comportem como adultos e pessoas da terceira idade.

Faz-se necessário lembrar que os protagonistas da evangelização deste milênio não são, necessariamente, os sacerdotes, mas os leigos chamados a evangelizar pelo testemunho da vida, pelas obras e pela fé.

Deus não é um “supermercado de graças” e não precisamos querer arrancar algo D’Ele.

Uma verdadeira evangelização não passa pelo medo, mas pelo respeito a Deus. Uma verdadeira evangelização passa pela justiça e pela promoção da pessoa humana. Uma verdadeira evangelização passa pela experiência que cada um faz de Deus.

Se evangelizar é uma urgência e se somos evangelizadores, então como evangelizar?

Para nós que somos evangelizadores, evangelizar é acolher cada pessoa que chega e que se sente deslocada.

Evangelizar é acolher aqueles que tropeçam no decorrer de sua vida e se desviaram da graça.

Evangelizar é estender o braço para aquele que está caído. Evangelizar é oferecer uma nova chance para aquele que quer se redimir.

Evangelizar é acolher e trazer de volta a ovelha machucada e desgarrada que já sofreu muito no mundo e levou pancada demais, de outros e falsos pastores.

Evangelizar é ser o “bom samaritano” que abre as portas de nossas Igrejas para que as pessoas afastadas se acheguem. É ser o “bom samaritano” que abre o coração para acolher aqueles que estão desesperados.

Evangelizar é falar o que Jesus disse, fazer o que Jesus fez.

Evangelizar é subir as escadas e elevadores e ter coragem de reunir seus condôminos numa Novena de Natal. É criar laços de amizade e profunda fraternidade para promoção de alguém que necessita de um próximo.

Evangelizar é encurtar distâncias, é ser ponte onde há inimizades, é saber criar situações onde o bem comum fale mais alto e a justiça de Deus aconteça. A humanidade está faminta de Deus e não é justo que deixemos que eles vivam de migalhas. Não podemos nos esquecer dos ensinamentos da multiplicação dos pães. A humanidade esta sedenta de água viva e se envenena com água contaminada do medo, da violência e da insegurança. Não é justo guardarmos as talhas para nós e deixarmos a água pura e cristalina jorre somente entre os átrios de nossas Igrejas.

Creio numa evangelização feita por muitas mãos e muitas vozes, porém regidas por um único maestro: Jesus Cristo. E, com pautas marcadas e compassos, estabelecidos por nossa Mãe e Maestra, Maria, na sagrada tradição do Magistério da Eucaristia.

Creio numa evangelização feita com arte, como uma grande sinfonia, onde no todo há harmonia e cada instrumento é importante e singular.

Evangelizar é preciso porque é na Palavra de Cristo que encontraremos as ferramentas necessárias para despertar consciências adormecidas e relaxadas, que semeiam valores contrários à família, à fidelidade ao respeito e ao amor.

Padre Reginaldo Manzotti é fundador e presidente da Associação Evangelizar é Preciso – Obra considerada benfeitora nacional que objetiva a evangelização pelos meios de comunicação – e pároco reitor do Santuário Nossa Senhora de Guadalupe, em Curitiba (PR). Apresenta diariamente programas de rádio e TV que são retransmitidos e exibidos em parceria com milhares de emissoras no país e algumas no exterior. Site: http://www.padrereginaldomanzotti.org.br. Facebook: http://www.fb.com/padrereginaldomanzotti. | Twitter: @padremanzotti | Instagram: @padremanzotti | Youtube: youtube.com/PadreReginaldo Manzotti