Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Aprenda a lidar com as emoções

adolescente
Compartilhar

As emoções são muito importantes e que cabe a cada um de nós reger as suas consequências

Escuto muitas queixas do tipo: “Minhas emoções me atrapalham” ou “Sou assim mesmo; não controlo minhas emoções”, ou ainda “Sou muito emocional e só me dou mal”.

Podem parecer frases soltas, mas afirmações assim merecem maior atenção, pois, demonstram crenças limitantes que minam a satisfação de qualquer um.

É importante saber que as emoções são neutras, nem boas e nem más, a forma como reagimos a elas é que possui efeito positivo ou negativo. Elas cumprem importante papel em nossas vidas, são fundamentais e dão significado ao que vivenciamos.

Algumas emoções básicas fazem parte do pacote “ser humano”; conhecê-las e compreender a maneira como agimos diante delas é exercício de autoconhecimento.

Emoções por si só não são capazes de atrapalhar você. Se isso tem acontecido é hora de observar seus próprios comportamentos. Alguns exemplos podem facilitar as coisas para você:

Tristeza: você pode escolher alimentá-la ou encará-la como um alerta para a necessidade de olhar para si mesmo e perceber o que precisa ser mudado para o seu próprio crescimento. No último caso uma emoção aparentemente ruim revela-se transformadora.

Raiva: Muitas pessoas preferem disfarçar essa emoção, considerando-a negativa, mas a raiva também desempenha papel importante. Muitas vezes é ela que nos fortalece no enfrentamento de muitas situações. Torna-se negativa quando se manifesta de forma violenta.

Medo: Tem poder de nos tirar de situações de risco, corresponde à proteção, sendo muito útil. Mas também pode estagnar e limitar, depende da forma como você a encara.

Podemos entender que as emoções são muito importantes e que cabe a cada um de nós reger as suas consequências.

Trocar a palavra “controlar” por “lidar” pode ampliar a possibilidade de desenvolver a inteligência emocional através do autoconhecimento e responsabilidade pelas próprias emoções e ações.

O que você foi até hoje é parte de sua história, mas não é você. Reescreva-se, ressignifique-se, torne-se alguém melhor a cada dia!

(via Suely Buriasco)