Aleteia logoAleteia logo
Aleteia
Quinta-feira 29 Outubro |
São Colmano
home iconReligião
line break icon

Sínodo: a Igreja pode ajudar os jovens a realizar seus sonhos?

SYNOD2018

Antoine Mekary | ALETEIA

Vatican News - publicado em 21/10/18

17ª Congregação Geral na manhã deste sábado, 20 de outubro, para o Sínodo dos Bispos

O quanto a Igreja está disposta a deixar-se “perturbar” pelos sonhos dos jovens e a caminhar com eles para realizá-los, com novidade e beleza? É o que se pergunta ao Sínodo hoje, na conclusão da reflexão sobre a terceira parte do Instrumentum laboris.

Para a Igreja é necessária – lê-se em alguns dos 14 Relatórios dos Círculos Menores – uma conversão pastoral e missionária que não seja um mero exercício técnico, mas uma exigência do seguimento de Cristo; uma conversão voltada à renovação da própria Igreja para aspirar a ser mais, a servir mais. Com efeito, o sonho do Sínodo é uma Igreja mais em conformidade ao Evangelho. E uma contribuição essencial para implementar tal conversão vem precisamente dos jovens: eles – sublinham os Padres Sinodais – não devem ser somente um objeto “receptor” preferencial da ação pastoral, mas também sujeitos protagonistas e participantes ativos nos processos de tomada de decisão, em uma ótica de corresponsabilidade e colegialidade, porque eles têm algo precioso para oferecer, com o qual o Senhor pode operar milagres.

No entanto, existem numerosos desafios que os jovens são chamados a enfrentar hoje: a marginalização, especialmente de mulheres vítimas de machismo e desigualdade; as dependências; a questão das pessoas homossexuais que devem ser acompanhadas pastoralmente, para que possam crescer na fé e não serem discriminadas, porque a Igreja se opõe à discriminação contra qualquer pessoa ou grupo; o desemprego; as questões éticas sobre o tema da sexualidade e do aborto, que devem ser aprofundadas para evitar confusão; a influência do ocultismo; o drama dos abusos, diante dos quais a Igreja pode e deve ser reformada, para que seja verdadeiramente um ambiente seguro e digno de confiança. Diante disto – observa o Sínodo – a Igreja tem a tarefa primordial de transmitir o dom da fé com o acompanhamento, o discernimento e a integração, privilegiando o primado da escuta do Evangelho e olhando para formas mais eficazes de tratar com os jovens, como a música ou o esporte. A Igreja – diz ainda o Sínodo – deve ser “em saída” e é urgente uma nova espiritualidade missionária.

Central também a reflexão sobre a família, “pequena Igreja”, escola de amor e humanidade, ponto de partida para chegar a Cristo: por isso – dizem os Padres Sinodais – a pastoral juvenil não pode ser pensada como separada da pastoral da família.

Ao lado da família, deve ser repensada também a paróquia, como lugar de escuta, comunhão e missão: é preciso comunidades fraternas, alegres e contagiantes – explica o Sínodo – em que os jovens possam assumir suas responsabilidades, quem sabe passando por fracassos, que no entanto, se bem acompanhado, é sempre fonte de crescimento. Em síntese – observam os Padres – os jovens devem se acostumar a recolocar sua confiança em Deus, graças a uma pastoral de fraternidade, marcada também por formas específicas como o oratório ou serviço.

Particular atenção, ademais – revelam alguns relatórios – deve ser colocada no mundo digital, quer por seus aspectos positivos no campo da evangelização, como pelos aspectos negativos, como a pornografia e o cyberbullying, em resposta aos quais o Sínodo exorta à elaboração de protocolos adequados para a promoção de uma “cidadania digital” responsável.

E mais ainda: os Círculos Menores recordam a necessidade de incentivar as escolas e as universidades católicas, capazes de uma formação integral da pessoa que seja de qualidade, interdisciplinar e promotora da “cultura do encontro”, porque educar é um ato de amor e fermento de comunhão.

Os Relatórios dos Círculos Menores também se concentram na urgência de um maior compromisso em favor da justiça social: a opção preferencial pelos pobres – lugar teológico do encontro com Deus – coincide frequentemente com aquela pelos jovens, que muitas vezes são indigentes. E é nesse contexto que os jovens católicos podem criar uma aliança ecumênica, inter-religiosa e em diálogo com os não-crentes, porque somente partindo dos pobres é possível sonhar com um mundo mais justo.

A formação da juventude na Doutrina Social da Igreja, ou melhor, sua “inculturação” – acrescentam os Padres – torna-se essencial também para enfrentar, por exemplo, a corrupção, e promover a paz e a salvaguarda da Criação. Os jovens, de fato, podem ser construtores da civilização do amor, guardiões da Casa Comum, transformando a partir do interior, com os valores do Evangelho e da misericórdia de Deus, o mundo da política, da economia, da saúde e da mídia. Trata-se, em essência, de assumir o compromisso de “santificar” a arena secular.

O Sínodo também pede maior atenção para os cristãos vítimas de perseguições, cujos testemunhos ressoaram nestes dias na Sala do Sínodo, bem como aos migrantes, que devem ser acolhidos, protegidos e integrados. Ao mesmo tempo, é sugerido que se promova a sua ajuda na própria pátria, através das Igrejas particulares.

Neste contexto, os jovens podem ser um válido apoio, tornando-se verdadeiros “apóstolos dos migrantes” porque muitas vezes há muitos jovens entre eles. Além disso, o Sínodo concentra-se nas várias expressões da piedade popular – por exemplo, as peregrinações – pois às vezes ajudam os jovens a cumprir um caminho de descoberta da doutrina e da moral cristã, graças à “força evangelizadora” neles contida.

O Sínodo, depois, reflete sobre o chamado à santidade: os jovens anseiam pela santidade da vida e desejam receber conselhos práticos para ajudá-los nesse caminho. Por esta razão, é importante não negligenciar a dimensão espiritual, porque permite aos jovens discernir o caminho que Deus abre diante deles.

Por um lado, é preciso acompanhantes competentes que apoiem os jovens a fazerem as escolhas certas; por outro lado, é necessário elaborar um estilo de vida cristã próprio dos jovens: por exemplo, um estilo de oração, uma lectio divina ou um modelo de celebração eucarística específico para eles.

De fato, é necessário ensinar aos jovens que a Missa é um encontro com Deus, um momento em que somos tocados por Cristo. E como lugar privilegiado de evangelização, o mistério eucarístico, com seu encanto, deve ser mais acessível aos jovens, graças a uma linguagem adequada, artístico-musical e poética.

Por fim, dos vários Relatórios, emerge a reflexão de que o Sínodo é apenas o começo de um processo que, como uma chama, deve ser levado adiante, alimentada e disseminada em nível local.

(Vatican News)

Apoiar a Aleteia

Se você está lendo este artigo, é exatamente graças a sua generosidade e a de muitas outras pessoas como você, que tornam possível o projeto de evangelização da Aleteia. Aqui estão alguns números:

  • 20 milhões de usuários no mundo leem a Aleteia.org todos os meses.
  • A Aleteia é publicada em 8 idiomas: Português, Francês, Inglês, Árabe, Italiano, Espanhol, Polonês e Esloveno.
  • Todo mês, nossos leitores acessam mais de 50 milhões de páginas na Aleteia.
  • 4 milhões de pessoas seguem a Aleteia nas redes sociais.
  • A cada mês, nós publicamos 2.450 artigos e cerca de 40 vídeos.
  • Todo esse trabalho é realizado por 60 pessoas que trabalham em tempo integral, além de aproximadamente 400 outros colaboradores (articulistas, jornalistas, tradutores, fotógrafos…).

Como você pode imaginar, por trás desses números há um grande esforço. Precisamos do seu apoio para que possamos continuar oferecendo este serviço de evangelização a todos, independentemente de onde eles moram ou do quanto possam pagar.

Apoie Aleteia a partir de apenas $ 1 - leva apenas um minuto. Obrigado!

Tags:
Sínodo
Oração do dia
Festividade do dia





Top 10
TRIGEMELAS
Esteban Pittaro
A imagem de Nossa Senhora que acompanhou uma ...
Aleteia Brasil
O milagre que levou a casa da Virgem Maria de...
Philip Kosloski
3 poderosos sacramentais para ter na sua casa
Reportagem local
Corpo incorrupto de Santa Bernadette: o que o...
Aleteia Brasil
Quer dormir tranquilo? Reze esta oração da no...
OLD WOMAN, WRITING
Cerith Gardiner
A carta de uma irlandesa de 107 anos sobre co...
No colo de Maria
Como rezar o terço? Um guia ilustrado
Ver mais
Boletim
Receba Aleteia todo dia