Receba o boletim diário da Aleteia gratuitamente no seu email.
Receba diretamente no seu email os artigos da Aleteia.
Cadastrar-se

Sem condições de apoiar?

Veja 5 formas de você ajudar a Aleteia

  1. Reze por nossa equipe e pelo êxito de nossa missão
  2. Fale sobre a Aleteia em sua paróquia
  3. Compartilhe os artigos da Aleteia com seus amigos e familiares
  4. Desative o bloqueio de publicidade quando nos visitar
  5. Inscreva-se para receber nosso boletim gratuito e leia-nos diariamente

Obrigado!
Redação da Aleteia

Enviar

Aleteia

Angelina Jolie acompanha o drama dos refugiados venezuelanos no Peru

ANGELINA JOLIE
© UNHCR-Santiago Escobar-Jaramillo
Compartilhar

A atriz é enviada especial da ONU ao país que é um dos mais afetados pelo fluxo de refugiados na América Latina

Sem maquiagem e longe das telonas, Angelina Jolie está desempenhando um dos seus melhores papéis: ela desembarcou no Peru para acompanhar de perto o drama dos refugiados e migrantes venezuelanos no país. 

A atriz de Hollywood é a enviada da ACNUR, a agência da ONU para refugiados e, durante a missão de três dias, vai “avaliar as necessidades humanitárias dos refugiados venezuelanos e os desafios enfrentados pelo Peru como país anfitrião”. Depois serão discutidas possíveis soluções para a crise regional. 

ANGELINA JOLIE
© UNHCR-Santiago Escobar-Jaramillo

O Peru é, hoje, um dos países mais afetados pelo aumento do fluxo de refugiados e migrantes da Venezuela, que protagonizam o maior deslocamento de pessoas da história recente da América Latina. 

À imprensa peruana, a atriz disse que quer “que as pessoas saibam que os migrantes não saíram da Venezuela porque queriam conseguir um trabalho melhor. A situação é muito mais séria do que as pessoas pensam. Como pode ser uma situação boa se 2,5 milhões de pessoas saíram do país?”

Segundo a ACNUR, a atriz visitou a América Latina pela última vez em 2012, em missão no Equador. Na época, sua missão era se encontrar com refugiados colombianos na região.

Igreja que acolhe

Diante da dura situação dos migrantes e refugiados no país, a Conferência Episcopal do Peru e Associação de Missionários de San Carlos Caslabrinianos inauguraram uma casa de acolhida ao imigrante. 

“O que oferecemos é uma acolhida total: lugar para dormir, tomar café da manhã e jantar”, destacou o padre Luiz Do Arte a Aleteia, diretor do abrigo. “Os migrantes agradecem a atitude de hospitalidade e bom trato. Eles se sentem reconhecidos como pessoas, sujeitos do processo. Não são objetos”, finalizou o padre. 

 

Boletim
Receba Aleteia todo dia